8 militares venezuelanos são sequestrados por milicianos na fronteira com a Colômbia

Hostilidades na divisa colombo-venezuelana dura quase dois meses; Cruz Vermelha oferece apoio nas negociações.

Ministro de Defesa da Venezuela confirmou sequestro dos oito militares por grupos armados colombianos, uma semana depois das primeiras denúncias - Prensa Fanb

O ministro de Defesa da Venezuela, general Vladimir Padrino López, confirmou, no último fim de semana, o sequestro de oito militares venezuelanos por grupos armados irregulares colombianos na região fronteiriça de Apure. O conflito armado teve início no dia 20 de março, e segundo relatórios oficiais já acumula 17 mortos (nove colombianos e oito militares venezuelanos), 39 feridos e 33 processados por um tribunal militar venezuelano.

No entanto, a ONG FundaRedes denuncia que no último fim de semana outros quatro membros do Exército Venezuelano foram abatidos e que existem mais três efetivos desaparecidos. A FundaRedes foi a primeira organização a denunciar o caso do sequestro, ainda no dia 10 de maio.

Os soldados venezuelanos teriam sido sequestrados já no dia 9 de maio, mas somente no dia 15 a informação foi confirmada pela Força Armada Nacional Bolivariana (Fanb). A Frente 10ª, que seria uma cisão das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), dirigida por Gentil Duarte, seria a responsável pelo sequestro.

“Exigimos aos captores que preservem a vida e a integridade física dos nossos soldados. Em estrito cumprimento das orientações do nosso comandante em chefe, Nicolás Maduro, ratificamos o inviolável compromisso de garantir a integridade territorial e soberania da nação, algo que não é negociável”, declarou o ministro Padrino López.

Os insurgentes pediram em carta que a Cruz Vermelha negociasse a liberação dos militares presos. O ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, declarou que já entrou em contato com a representação do organismo na Venezuela para iniciar o diálogo com os guerrilheiros.

“Agradecemos seu profissionalismo e rigor para gerar um conjunto de condições necessárias para uma segura e breve liberação dos nossos valentes soldados”, publicou o chanceler.

responsivevoice_button voice=”Brazilian Portuguese Female”]