Z1 Cidades

Araçariguama: Homem que quebrou nariz da ex-mulher será indiciado por lesão corporal

Redação
Escrito por: Redação
Jackeline Mota, de 31 anos, foi agredida ao ir buscar os filhos na casa do ex-marido. Segundo a vítima, o agressor ficou com ciúme quando descobriu que ela estava namorando.

O homem que quebrou o nariz da ex-mulher e foi denunciado pela vítima nas redes sociais será indiciado pela Polícia Civil de Araçariguama (SP) por lesão corporal. Um inquérito sobre o caso foi instaurado na terça-feira (10) e o suspeito deve ser ouvido nos próximos dias.

A vítima, Jackeline Mota, de 31 anos, publicou uma foto no Facebook em que aparece com o nariz inchado e o rosto ensanguentado. A mulher ficou internada e os médicos chegaram a cogitar uma cirurgia por conta do ferimento, mas ela já teve alta e se recupera em casa.

A publicação recebeu centenas de reações e compartilhamentos, o que levou a vítima a postar novos desabafos sobre a relação com o assessor parlamentar Carlos Henrique Evangelista de Oliveira.

Em um dos posts, Jackeline conta que foi agredida ao ir buscar os filhos na casa do ex-marido, na última segunda-feira (9). Segundo a mulher, Carlos ficou com ciúme ao descobrir que ela estava namorando novamente.

“Ele desceu e me agrediu depois de dizer que eu estava namorando. Ele só falou: ‘Se colocar o namoradinho perto dos meus filhos, eu te mato'”, explica.

Em entrevista ao G1, Jackeline afirmou que era constantemente agredida durante os 11 anos em que foi casada com o agressor e só conseguiu terminar a relação no ano passado.

Segundo a delegada responsável pelo caso, Bruna Racca, Carlos deve prestar esclarecimentos à investigação até o fim da semana. O advogado do rapaz, Glauber Bez, afirmou que não vai se pronunciar no momento.

A Polícia Civil também pediu uma medida protetiva para Jackeline, que é quando o agressor fica proibido de se aproximar ou entrar em contato com a vítima.

‘Cansei de me calar’

Jackeline teve dois filhos com Carlos: um menino de 11 anos e uma menina de 6, que, segundo ela, presenciaram a agressão e precisaram ser acalmados.

“Meus filhos estão com minha mãe e foram ouvidos. Minha filha chorava muito, meu filho teve que ser medicado para se acalmar”, disse.

Perguntada sobre como conseguiu viver tanto tempo em um relacionamento abusivo, Jackeline desabafou: “na verdade, eu não queria expor minha vida e não contava para ninguém. Aguentava tudo sozinha, mas cansei de me calar.”

Em uma das postagens que fez sobre a agressão, ela mandou um recado de alerta para outras mulheres que vivem na mesma situação.

“Mulheres, não se calem. Não tenham medo. Se o medo for da morte, entendam que vocês que vivem uma situação destas dentro de casa estão com a alma morta em um corpo que apenas existe, não vive.”

Após a repercussão do caso, a moradora de Araçariguama voltou a usar as redes sociais para postar um vídeo agradecendo as mensagens de apoio que recebeu.

Jackeline recebeu apoio de outras mulheres em publicação (Foto: Facebook/Reprodução)Jackeline recebeu apoio de outras mulheres em publicação (Foto: Facebook/Reprodução)

Jackeline recebeu apoio de outras mulheres em publicação (Foto: Facebook/Reprodução)

Imagem capa: Reprodução/Facebook

Com informações do G1

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: