Arlindinho Cruz mistura samba e eletrônica para conquistar os jovens

Cantor e compositor lança EP com quatro faixas do DVD em homenagem a seu pai, Arlindo Cruz, gravado na casa da família, no Rio de Janeiro, em 2021

Reprodução
Depois de seu primeiro DVD, “Meu lugar”, lançado no YouTube no final do ano passado, o cantor e compositor carioca Arlindinho Cruz está de volta com “Meu lugar EP02”. Com quatro áudios retirados do projeto audiovisual, o trabalho traz a participação do sambista Xande de Pilares em “Triângulo amoroso/ Bom aprendiz”.
Em novembro de 2021, Arlindinho fez show no Vivo Rio para lançar o DVD, gravado em julho na casa de seu pai, Arlindo Cruz, no Recreio dos Bandeirantes, na capital fluminense.
Alcione, Xande de Pilares, Vou Pro Sereno, Marquinhos Sensação e Ronaldinho (ex-Fundo de Quintal) foram os artistas convidados. Em formato intimista, “Meu lugar”, com 18 faixas, homenageia Arlindo, afastado dos palcos desde 2017 em decorrência de um acidente vascular cerebral (AVC).
Arlindinho começou o ano com vários planos. “Agora, estou dando sequência à segunda parte do meu projeto, lançando o EP com o pot-pourri ‘Triângulo amoroso/ Bom aprendiz’ como faixa de trabalho”, diz.

Em seus novos projetos, o cantor e compositor tem apostado na mistura de samba com eletrônico. “Mas mantendo as tradições da forma que a gente aprendeu”, explica. “Essa mistura é importante, vital para a continuidade de tudo, justamente para a gente poder falar com pessoas mais novas, mostrando e elas os elementos do samba, do que é o tradicional. Afinal, o mundo é misturado.”

PERTO DE ARLINDO

“Meu lugar” é um projeto especial, explica. “São canções minhas e de autores de quem gosto muito, além de regravações. Foi muito bacana, gravamos na casa do meu pai para que ele pudesse estar por perto. Foi importante também para mostrar um pouco do sambista Arlindinho, um pouco do que quero propor”, diz.

Chegar ao repertório final não foi fácil. “São muitas canções boas e muita coisa da onda de que eu gosto também. A gente foi tentando conectar uma música com outra, as tonalidades e andamentos. Foi um casamento muito bacana, o retorno está sendo muito positivo”, comenta.
Feliz com a volta dos shows, Arlindinho vai retomando a rotina. “Na época em que tive de ficar em casa por causa do isolamento social, procurei usar o tempo para compor, pensar em novos projetos. Por outro lado, os shows no Rio de Janeiro já estão liberados desde setembro. Estamos com agenda cheia, graças a Deus.”
Ainda não há nada marcado em Belo Horizonte. “A cidade está até um pouco mais restritiva com relação à pandemia, não é?”, comenta, revelando que vem retomando contatos na capital. “Temos feito shows em outras cidades mineiras. Como têm surgido convites, é só uma questão de tempo. Adoro fazer show na capital dos mineiros, onde o povo é muito musical e adora samba.”

NOVA GERAÇÃO

Com 13 anos de carreira, Arlindinho Cruz tem 30 anos e 13 de carreira. Com 400 mil ouvintes no Spotify e cerca de 500 mil de seguidores no Instagram, é considerado um dos talentos da nova geração do samba.
Ainda pequeno, por causa do pai, o músico conviveu com Acyr Marques, Zeca Pagodinho, Jorge Aragão, Fundo de Quintal e Xande de Pilares – artistas que o influenciaram.
Acervo pessoal
(foto: Acervo pessoal)

“MEU LUGAR EP02”

• EP De Arlindinho Cruz
• 4 faixas
• Disponível nas plataformas digitais