Entretenimento

Atriz trans protagoniza série sobre bailes secretos de NY nos anos 1980

Redação
Escrito por: Redação

Dominique Jackson tem muitas coisas em comum com a personagem que interpreta na série “Pose” a transgênero Elektra Abundance. Mas ela prefere que esses detalhes sejam revelados aos poucos, e no programa, não na conversa por telefone da qual a reportagem participou.

“Mas pode botar que nós duas temos autoestima, mas também um coração. Interpreto Elektra como uma pessoa que faz qualquer negócio para sobreviver, e isso nós duas temos em comum”, afirma a atriz.

Na nova série do canal Fox Premium, que se passa em Nova York no final dos anos 1980, Elektra é a rainha dos bailes, vence quase toda vez que participa de uma competição. É ainda a “mãe” de vários outros meninos e meninas, entre gays e trans, todos negros ou latinos. Ser uma mãe neste cenário significa ser a chefe de uma casa que é tanto uma moradia quanto um time.

Músico comenta saída de Marcelo Gross do Cachorro Grande: ‘Desgasta’

A dela se chama Abundance e vai se chocar no seriado com a casa Evangelista, nome dado em homenagem à modelo Linda Evangelista, uma das top models da época.

“‘Pose’ mostra uma cultura de Nova York que acontecia às escondidas. Os bailes existem desde os anos 1960 e nunca ninguém falou deles na televisão mainstream”, diz Jackson.

Nascida em Trinidad e Tobago e criada pela avó, Dominique enfrentou preconceito na família e em sua comunidade. Em 1990, mudou-se para Nova York, onde chegou a viver nas ruas e a se prostituir para sobreviver.

Mas foi na maior cidade americana que adotou o novo nome e passou a se identificar como mulher. Hoje é uma modelo de sucesso e protagonista de uma superprodução de um canal importante de TV.

“Pose” não é seu primeiro trabalho como atriz. Ela estreou em 2009 no telefilme “Christopher Street: The Series”, que não foi exibido no Brasil.

Em 2016, fez um reality show em seis episódios chamado “Strut”, que reunia modelos transgênero. No ano passado, ganhou o papel que ela considera uma “bênção”, o de Elektra Abundance.

Foi nos bailes gays dos anos 1980 que surgiu a dança “vogue”, que Madonna trouxe para o mainstream em 1990 com o hit de mesmo nome e a coreografia que simula os closes de uma seção de fotos.

“Vogue chegou a ter sucesso e a despertar a atenção do público para nós, mas ninguém se interessou em mostrar o lado sério dessa história”, diz.

Até agora, quando o produtor Ryan Murphy, que ganhou recentemente cinco prêmios Emmy pelas minisséries “O Assassinato de Gianni Versace”, de 2016, e “Feud”, de 2017, resolveu mergulhar nesse mundo e criou “Pose”. O programa tem o maior elenco LGBTQ da história, e quase todos os personagens são negros ou latinos.

Apesar do estilo novelão da parte dramática, o glamour das cenas de baile contrabalanceia o tom e transforma a série em uma das mais originais em cartaz. Com informações da Folhapress.

Pose

Temporada completa no Fox App (para assinantes) em 28/9; na TV, um episódio por semana, às terças, às 22h, no Fox Premium. Com informações do Notícias Ao Minuto.

Imagem: Getty Images

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: