Futebol Brasil

Brasil eliminado: ‘maldição do grafite’ de Kazan se repete com Neymar

Redação
Escrito por: Redação

Em uma manhã abafada de junho de 2017, o atual prefeito de Kazan, Ilsur Metshin, mandou inaugurar um enorme mural com o rosto de Cristiano Ronaldo em uma velha fachada soviética em frente ao quarto de hotel do ídolo português.

Ronaldo, ou CR7, estava na cidade para disputar a Copa das Confederações, uma espécie de ensaio geral para a Copa do Mundo da Rússia.

Na mesma semana, o prefeito, que também é cartola do time de futebol da cidade, reuniu jornalistas em uma entrevista coletiva e disse que Kazan estava aberta para artistas dispostos a pintar murais com os rostos de grandes nomes do esporte.

“Eu prometo a vocês: (um novo grafite surgirá) cada vez que uma estrela de futebol chegar a Kazan”, disse Metchin. “Para nós é um sonho, uma grande festa para a cidade.”

Um ano depois, Lionel Messi se hospedou com a seleção argentina em Kazan para jogar contra a França, nas oitavas de final da Copa, e também foi surpreendido com seu rosto pintado em frente à janela de seu quarto de hotel.

O último presente foi dado ao brasileiro Neymar. “Tá me encarando por quê, parceiro?”, escreveu o brasileiro na legenda de uma foto do grafite com seu rosto na última quinta-feira, véspera do jogo contra a Bélgica.

Três estrelas do futebol. Três grafites com seus rostos em Kazan.

E os três desclassificados do mundial.

ReproduçãoDireito de imagemREPRODUÇÃO

Twitter

A derrota do Brasil para a Bélgica, por 2 a 1, reforçou a fama de pé-frio que se construía em torno do prefeito Metshin.

Antes do fim do jogo, pelo Twitter, brasileiros já mostravam preocupação.

“A culpa é da prefeitura de Kazan. Pintaram Messi e Cristiano Ronaldo nos muros. Argentina e Portugal fora. Agora pintaram o Neymar…”, escreveu um usuário.

“Parabéns ao prefeito de Kazan que mandou pintar um mural do Neymar depois de ter pintado Cristiano Ronaldo e Messi e eles serem eliminados. Temos um culpado”, disse outra.

A maldição do grafite se anunciava antes mesmo do início do jogo.

“Prefeito de Kazan mandou pintar CR7 e ele foi eliminado. Mandou pintar MESSI e também foi eliminado. Agora mandou pintar o Neymar! NÃO VAMOS MAIS SER HEXAAAAA”, escreveu um brasileiro horas antes do início da partida.

Terreno de “presente”

Na véspera do jogo, o mesmo prefeito de Kazan já havia feito um anúncio que surpreendeu até a imprensa russa.

Em entrevista coletiva no lançamento de um projeto imobiliário, Ilsur Metshin prometeu a jornalistas que daria um terreno a Neymar na cidade russa se o brasileiro conseguisse marcar 3 gols na partida contra os belgas.

“Se marcar três gols, vamos encontrar um patrocinador e dar a Neymar o terreno. Imagine como isso será um ímã! Viver ao lado de Neymar em um condomínio ecológico”, disse Ilsur Metshin a jornalistas.

O condomínio ecológico será construído entre o Volga, maior rio da Rússia, e uma antiga fábrica industrial de produção de pólvora – palco de acidentes ambientais, e que agora será transferida.

Segundo a imprensa local, o último acidente de na fábrica de pólvora aconteceu em abril do ano passado, provocando explosões e um incêndio.

No ano anterior, um homem morreu em outra explosão. A fábrica de pólvora é a mais antiga da Rússia e produz material para o Exército do país.

Neymar não comentou o “presente” do prefeito.  Com informações da BBC

Imagem de capa: reprodução/Reuters

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
%d blogueiros gostam disto: