Z1 Cidades

Campinas: Idosa é agredida durante assalto

Redação
Escrito por: Redação
Uma idosa de 77 anos foi agredida durante um assalto, na noite desta terça-feira (dia 27), no Jardim Paraíso, região nobre de Campinas. Ela estava com o marido, um projetista de 85 anos e o filho, um engenheiro civil de 57 anos. A família foi atacada por três bandidos. Ela foi socorrida com dores fortes na cabeça no Hospital Vera Cruz e liberada durante a madrugada desta quarta-feira (28). Dois suspeitos foram presos em flagrante.
O roubo foi por volta das 20h40. A família saia de carro. A ação foi gravada pelo sistema de segurança do imóvel. As vítimas foram atacadas na calçada de casa.
Os criminosos estavam em quatro e ocupavam um Fiat 147. Eles passavam pela rua quando o engenheiro civil saiu da garagem com o carro. O motorista parou o veículo a alguns metros e três bandidos desceram. A abordagem aconteceu quando o casal de idoso se aproximava do carro do filho, um Pegeout 208. Ao ver os assaltantes se aproximando, a idosa correu para dentro do carro. Um dos ladrões rendeu o filho. O segundo o projetista e o terceiro, armado, abordou a mulher.
Ainda segundo relatos das vítimas para a polícia, os criminosos exigiram que o casal e o filho saíssem do carro, mas a idosa ficou nervosa e não conseguiu. Então o bandido que a havia rendido passou a espancá-la com vários socos na cabeça até arrancá-la do interior do veículo. Os bandidos fugiram com o Pegeout, com o celular e a carteira do engenheiro civil.
O carro foi achado pela Polícia Militar (PM), abandonado, no Jardim São Fernando. Durante averiguação da polícia, dois dos criminosos passaram com o Fiat no local e foram presos após serem reconhecidos pelas vítimas. Eles foram identificados como os autônomos Marcos Mateus de Souza, de 22 anos, e Maycon Eduardo Marques Vargas, de 24 anos, ambos com passagem criminal por tráfico.
Rota
O ataque à família reacendeu o medo dos moradores do Jardim Paraíso. Segundo eles, há um ano que o bairro não registrava assaltos, mas neste mês este seria o segundo no bairro. “A gente não vê viaturas da PM patrulhando. Estamos expostos”, disse uma moradora que não quis ser identificada.
O bairro faz divisa com os jardins São Fernando e Paranapanema, considerados pela polícia como os mais violentos da região. Ainda segundo os maradores, a Rua Sinésio de Melo Oliveira serve de passagem para pedintes que moram nos bairros vizinhos e atuam na Avenida Heitor Penteado. “Há um ano, instalei câmaras de segurança na frente do meu imóvel, e o pessoal conseguiu furtar uma das câmaras. Tive que tomar outras medidas para coibir os furtos”, falou um empresário, cujo nome foi preservado.
O chefe de investigação do 10º Distrito Policial (DP), no Jardim Proença, Marcelo Hayashi, informou que a apuração sobre roubos e furtos na região é feita de forma contínua, inclusive, no final do ano passado, culminou na prisão de ao menos cinco suspeitos de roubarem residências na região do Parque Gramado e Jardim Guarani. “Esperamos, como sempre, que as vítimas acreditem em nosso trabalho, ajudando a reconhecer os autores e não tenham medo, pois se não o fizerem, mais vítimas serão roubadas ou furtadas”, pediu Hayashi.
Em 2015, os moradores chegaram a bloquear três ruas com floreiras para coibir a onda de roubos. As vias foram desbloqueadas no ano seguinte pela Prefeitura.
O capitão da PM, responsável pelo patrulhamento ostensivo dessa região, Argeu Alencar da Silva, garantiu que o índice de crimes no Jardim Paraíso é muito pequeno e garantiu que o patrulhamento é feito diariamente. “Em 2015 implantamos o programa Vizinhança Solidária e na época fizemos uma caminhada de conscientização. No início houve uma grande participação dos moradores, mas depois houve uma evasão. Ainda temos a comunicação por aplicativo, mas é importante que os moradores continuem participando das reuniões do Conselho de Segurança”, disse.
Segundo o capitão Argeu, as reuniões são realizadas na segunda quarta-feira do mês, no Colégio Ave Maria. Além disso, também existe a reunião itinerante que é marcada onde os moradores indicam.
Imagem: Reprodução / Alenita Ramirez
Com informações do Correio Popular

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: