Campinas: Veja como fica a região após estado anunciar fase emergencial na quarentena

A região de Campinas (SP) terá regras mais rígidas para enfrentamento da Covid-19, entre 15 e 30 de março, após o estado determinar nesta quinta-feira (11) a fase emergencial da quarentena para tentar reduzir a circulação do vírus em todos os municípios paulistas. Além de impor toque de recolher, o governo João Doria (PSDB) vetou celebrações religiosas coletivas e estabeleceu mudanças em 14 atividades econômicas, com objetivo de elevar o distanciamento social. Veja abaixo o que muda.

Na prática, o planejamento significa ampliar restrições já estipuladas na fase vermelha, até então a mais restritiva do Plano SP para as atividades econômicas no enfrentamento ao novo coronavírus. Ela teve início na região em 6 de março, embora cidades como Campinas (SP) tenham antecipado a data de início com propósito de conter aumentos de casos e mortes, além da pressão por leitos de UTI.

O coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, Paulo Menezes, afirma que o propósito é fazer o índice de distanciamento social superar a marca de 50% com as novas medidas. De acordo com ele, as alterações em 14 atividades econômicas visam colocar 4 milhões de paulistas em restrições com as alterações, e o prazo de 15 dias é necessário para efetiva redução do ciclo de circulação do vírus.

A restrição completa proíbe retirada presencial de produtos em restaurantes e lanchonetes, proíbe atendimento presencial em lojas de material de construção e veta celebrações religiosas coletivas e atividades esportivas em grupo. Lojas e restaurantes só poderão fazer entregas pelo sistema em que o consumidor recebe o produto dentro de seu veículo (drive thru), entre 5h e 20h, ou por serviços de entrega na residência (delivery) por telefone ou aplicativo de internet. Não haverá nenhuma restrição ao funcionamento de supermercados. Com informações do G1 e A CidadeOn
[responsivevoice_button voice=”Brazilian Portuguese Female”]