Candidíase de repetição afeta cerca de 80% das mulheres

Ginecologista desvenda 5 mitos de infecção causada por fungos

Reprodução

 A candidíase é uma infecção que causa ainda muito constrangimento e muitas vezes dúvidas nas mulheres. Apesar de ser um tabu para algumas pessoas, a candidíase de repetição é muito comum de acontecer e durante a fase reprodutiva atinge 5% das mulheres.

Essa doença se caracteriza por secreção e inflamação na região genital causada pelo fungo cândida albicans que gera incomodo pela coceira e inflamação.

De acordo com a médica ginecologista Dra. Flávia do Vale, médica obstetra e Coordenadora da Maternidade do Hospital Icaraí, esses fungos se encontram naturalmente na flora vaginal e intestinal e caso haja um desequilíbrio do organismo, eles se proliferam.


Flávia enumerou 5 dúvidas sobre a cândida que chegam em seu consultório. Vamos conferir?

1 – A candidíase de repetição volta pelo menos quatro vezes ao ano?

VERDADE. “O diagnóstico da candidíase deve ser realizado através de exame físico realizado pelo ginecologista e, para ser considerada recorrente, costuma ter essa característica”, explica a médica. ”

2 – É SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEL?

MITO. Apesar de recorrente, a candidíase não se origina por contato sexual, mas sim por desordens orgânicas, como problemas na flora bacteriana ou carência de vitaminas, por exemplo e nada tem a ver com infecções sexualmente transmissíveis.


“Claro que é sempre importante se prevenir com o uso de preservativo a fim de evitar a propagação também de doenças sexualmente transmissíveis”, alerta a médica.

A médica explica que na maioria dos casos, a candidíase se resolve com um tratamento simples, seja tópico (aplicado na vagina na forma  óvulos ou cremes vaginais antifúngicos) ou oral ( com dose única ou múltipla)

3 – É NECESSÁRIO O TRATAMENTO DO PARCEIRO SEXUAL

A candidíase geralmente não é adquirida por meio de relações sexuais, logo, não se justifica o tratamento de parceiros sexuais. Todavia, uma minoria de parceiros sexuais masculinos sintomas como com coceira, vermelhidão ou irritação do pênis. Esses homens se beneficiam do tratamento com agentes antifúngicos para aliviar os sintomas.

4 – ESTRESSE GERA CANDIDÍASE

Na maioria dos casos, a razão pela qual isso ocorre não é conhecida. Algumas mulheres parecem mais propensas do que o normal a desenvolver candidíase. No entanto, mulheres com alto nível de açúcar no sangue (devido ao diabetes mal controlado) e mulheres com sistema imunológico enfraquecido podem ter maior probabilidade de desenvolver aftas recorrentes. Além disso, o estresse  pode alterar os níveis de cortisol e influências no sistema imunológico e nos níveis de glicose no sangue.

5 – USAR BANHEIRO PÚBLICO OU ROUPA MOLHADA PODE CAUSAR CANDIDÍASE

Situações que alteram a acidez vaginal ou o equilíbrio dos micro organismos que habitam naturalmente a vagina podem aumentar a chance de desenvolver candidíase. Logo,  algumas situações podem aumentar as chances de desenvolver candidíase como: o uso de antibióticos que desequilibram a flora vaginal, uso de dispositivos contraceptivos como DIU ou pílula com doses mais altas de estrogênio, diabetes que aumenta a concentração vaginal de açúcar e consequentemente seu ph, gravidez e um sistema imunológico enfraquecido (devido à quimioterapia, HIV ou certos medicamentos).