Carros de luxo são apreendidos em operação que investiga crimes financeiros em Indaiatuba e mais três cidades da região

69

A operação Black Flag da Polícia Federal realiza na manhã desta terça-feira, 11, surpreendeu pela quantidade de carros de luxos apreendidos. Os policias investigam crime contra o sistema financeiro nacional e também lavagem de dinheiro, o valor supera R$ 2,5 bilhões.
Os mandatos foram cumpridos em Campinas, Valinhos, Sumaré e Indaiatuba, onde mais de 10 carros foram recolhidos pela Polícia Federal.

Divulgação/Polícia Federal

De acordo com a CBN foram apreendidos Uma Ferrari amarela, modelo F12, estava entre os automóveis apreendidos. Ela tem um preço que ultrapassa a marca dos R$ 2,5 milhões. Dois modelos da Porsche também chamaram a atenção. Um deles, do modelo Cayenne, tem preço estimado em R$ 956 mil. Outro veículo da Porsche apreendido, modelo Cayman S, pode custar entre R$ 310 mil e R$ 625 mil. Modelos de luxo de outras montadoras também foram parar na garagem da Polícia Federal. Uma Mercedes, modelo CLS 53, pode custar cerca de R$ 800 mil. A Polícia Federal apreendeu também uma Range Rover SVR, avaliada em R$ 475 mil. Houve ainda a apreensão de carros de luxos com preços um pouco mais modestos. Entre eles estava um Volvo T8, que custa cerca de R$ 200 mil e uma BMW X1, que sai por R$ 196 mil.  Veja vídeo acima.

Divulgação/Polícia Federal

Os carros de luxo eram apenas uma parte do esquema.  Foram recolhidos dinheiro, diamantes, jóias, e garrafas de vinho avaliadas em R$ 100 mil.  A operação também apreendeu uma lancha avaliada em R$ 5 milhões. A quadrilha usava empresas de fachada para justificar a posse dos bens, evitando a ação autoridades fiscais.

Divulgação/Polícia Federal

Segundo a Polícia Federal, as investigações começaram há dois anos e as fraudes foram descobertas pela Receita, após o cruzamento de dados e verificação de “movimentações financeiras suspeitas”. Os envolvidos montaram um esquema bilionário na região da cidade de Campinas. Todos os 15 mandatos de prisão expedidos foram cumpridos. As prisões são temporárias e valem por cinco dias.

Divulgação/Receita Federal

Todos os detidos responderão pelos crimes de lavagem de dinheiro, crimes contra o sistema financeiro, crimes contra a ordem tributária, estelionato, falsidade ideológica e organização criminosa, ressalta a Polícia Federal.