Indaiatuba

Comércio reage e cria novos postos de trabalho na RMC; confira

Redação
Escrito por: Redação
Para a presidente do SindiVarejista, Sanae Murayama Saito, tradicionalmente o varejo registra mais desligamentos do que admissões no início de cada ano. “Vale ressaltar, porém, que as 26.130 vagas encerradas no primeiro quadrimestre representam o menor saldo negativo para o período desde 2013”, afirmou.

O comércio da região de Campinas criou em abril 227 vagas com carteira assinada, resultado de 7.554 admissões contra 7.327 desligamentos. O dado mostra que o setor voltou a criar postos de trabalho após três meses de saldo negativo.

O levantamento foi feito pelo SindiVarejista em parceria com a FecomercioSP.

No acumulado de doze meses, 1.312 novas vagas foram registradas. Com isso, o setor encerrou o período com estoque ativo de 196.449 trabalhadores formais, alta de 0,7% em relação ao mesmo mês de 2017.

Dentre as nove atividades pesquisadas, apenas três registraram queda no estoque de trabalhadores ativos em abril na comparação com o mesmo mês de 2017, com destaque para lojas de vestuário, tecidos e calçados (-3%) e lojas de móveis e decoração (-2,4%).

Por outro lado, os grupos de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos e supermercados (ambos com 2%) e de farmácias e perfumarias (1,6%) tiveram as maiores variações positivas.

Para a presidente do SindiVarejista, Sanae Murayama Saito, tradicionalmente o varejo registra mais desligamentos do que admissões no início de cada ano. “Vale ressaltar, porém, que as 26.130 vagas encerradas no primeiro quadrimestre representam o menor saldo negativo para o período desde 2013”, afirmou.

NO ESTADO

O mercado de trabalho do comércio varejista no Estado de São Paulo voltou a abrir novos postos de trabalho após três meses de saldo negativo. Em abril, foram criados 2.340 empregos formais, resultado de 77.179 admissões e 74.839 desligamentos. Assim, o setor encerrou o mês com um estoque de 2.063.079 vínculos empregatícios, crescimento de 0,4% em relação ao mesmo período de 2017. No acumulado de 12 meses, 8.995 empregos com carteira assinada foram gerados, revertendo o cenário negativo observado nos dois anos anteriores.

No comparativo anual, quatro das nove atividades analisadas registraram crescimento do estoque de empregados, com destaque para os segmentos de farmácias e perfumarias e de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (ambos com elevação de 2,9%); e de autopeças e acessórios (1,1%). Por outro lado, as lojas de móveis e decoração (-1,5%) e as lojas de vestuário, tecidos e calçados (-0,9%) apontaram as maiores quedas na mesma base comparativa.  Com informações do portal A CidadeOn.

Imagem de capa: reprodução

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: