Banner Mega Maio 728x90
Jane Rezende Saúde

Febre amarela; é coisa séria

Jane Rezende
Escrito por: Jane Rezende
Automotivos 728x90

Por Jane Rezende – A febre amarela é uma doença infecciosa causada por um vírus e transmitida por mosquitos. A infecção pode ser manifestar de duas formas: febre amarela urbana, quando é transmitida pelo Aedes aegypti; ou febre amarela silvestre, quando transmitida pelo Haemagogos e Sabethe.

A doença é considerada aguda e hemorrágica e recebe este nome, pois causa icterícia que é a pele amarelada e hemorragia. O vírus é tropical e mais comum na América do Sul e na África.

Como no Brasil está acontecendo um surto da Febre Amarela o governo iniciou uma campanha de vacinação com doses fracionadas que terá duração média de 9

A febre amarela costuma ser transmitida por um mosquitos, principalmente o Aedes que é infectado ao picar uma pessoa ou animais com a doença e passa a transmiti-la para quem ele picar.

Forma de manifestação:

  • Febre amarela silvestre: em que mosquitos destas regiões se infectam picando macacos com a doença e podem transmitir a um humano que visite este habitat
  • Febre amarela urbana: em que um humano infectado anteriormente pela febre amarela silvestre a transmite para mosquitos urbanos, como o Aedes aegypti, que a espalham.

Nos dois  casos a doença é a mesma e a pessoa permanece em estado de viremia,  capaz de transmitir o vírus para mosquitos, por até 7 dias após ter sido picada.

Pessoas que nunca entraram em contato com a febre amarela ou nunca se vacinaram contra ela correm o risco de contrair a doença ao viajarem para locais em que a doença é ativa, mesmo que não haja casos recentes reportados nestas regiões.

Dependendo do dano causado no organismo, esta fase da febre amarela pode levar a morte no intervalo entre sete e dez dias. Por isso, pessoas que são diagnosticadas com febre amarela devem estar atentas ao aparecimento dos sintomas iniciais e observar se os sintomas mais graves se manifestarem, para busca de ajuda médica.

Pessoas que manifestam sintomas de febre amarela, devem buscar ajuda médica imediata.

Se você  pretende viajar para uma região que esteja sendo considerada área de risco, é importante buscar um médico para tomar a vacina.

O diagnóstico da febre amarela é feito com base nos sintomas, histórico médico e de exposição a mosquitos possivelmente infectados.

Caso o médico suspeite de febre amarela, existe um exame de sangue que pode detectar a presença do vírus ou de anticorpos que indiquem sua infecção anterior.

Quanto ao tratamento não existe medicamento para combater o vírus da febre amarela. O tratamento é apenas sintomático e requer cuidados na assistência ao paciente que, sob hospitalização, deve permanecer em repouso com reposição de líquidos e das perdas sangüineas, quando indicado. Nas formas graves, o paciente deve ser atendido numa Unidade de Terapia Intensiva.

Devido ao risco da doença se desenvolver de forma hemorrágica, é importante evitar o uso de aspirina.

Pessoas diagnosticadas com a forma mais simples da febre amarela devem manter cuidados básicos como:

  • Repouso
  • Reposição de líquidos, principalmente recorrendo ao soro caseiro em casos de vômitos
  • Uso correto dos medicamentos indicados.

Além disso, é importante que estas pessoas não fiquem expostas à mosquitos, ou podem infectá-los com a doença.

A maioria das pessoas com febre amarela serão assintomáticas ou terão a versão mais leve da doença, se recuperando completamente em poucos dias. No entanto, em pessoas sintomáticas, a fadiga e fraqueza podem durar ainda por alguns meses.Pessoas que tiveram febre amarela uma vez estão imunizadas contra a doença.

A vacinação é considerada pela Organização Mundial da Saúde a forma mais importante de prevenir a febre amarela.

CALENDÁRIO VACINAL DA FEBRE AMARELA

De 6 meses a 9 meses de idade incompletos: a vacina está indicada somente em situações de emergência epidemiológica, vigência de surtos, epidemias ou viagem inadiável para área de risco de contrair a doença

De 9 meses até 4 anos 11 meses e 29 dias de idade: é indicado uma dose aos 9 meses de idade e uma dose de reforço aos 4 anos de idade

A partir dos 5 anos de idade: se a pessoa já recebeu uma vacina, pode-se dar mais uma dose. Se ela nunca foi vacinada, é preciso dar uma dose inicial e outra de reforço 10 anos depois.

No caso de pessoas com mais de 60 anos que nunca foram vacinadas, o médico deve levar em conta os riscos da vacinação. Gestantes e lactantes são contraindicadas a tomar esta vacina, assim como pessoas imunossuprimidas. A orientação sobre a dose da vacina contra febre amarela foi atualmente reformulada. Atualmente  uma pessoa que já tomou a vacina contra febre amarela não precisa se revacinar, mesmo que esta dose tenha sido ministrada há mais de 10 anos. As únicas exceções são para pessoas que tomaram a dose fracionada da vacina e para crianças de 9 meses a 5 anos de idade.

No caso de viajantes, o recomendado aqui no Brasil é realizar a vacinação 10 dias antes da viagem, no caso de primeira vacinação, já que os anticorpos protetores aparecem entre sete e dez dias após o contato com o vírus. De acordo com as Regulações de Saúde Internacionais, os países têm o direito de requerer de viajantes o certificado da vacinação contra a febre amarela.

Controle da infecção:

Evitar o acúmulo de água  jogue fora pneus velhos, virar garrafas com a boca para baixo e, caso o quintal seja propenso à formação de poças, realizar a drenagem do terreno. Também é necessário lavar a vasilha de água do bicho de estimação regularmente e manter fechadas tampas de caixas d’água e cisternas.

Coloque areia nos vasos de plantas O uso de pratos nos vasos de plantas pode gerar acúmulo de água.

Coloque desinfetante nos ralos .  Ralos são rasos e conservam água estagnada em seu interior.

Limpe as calhas  As larvas do mosquito podem ser encontradas em pequenas quantidades de água. Para evitar até essas pequenas poças, calhas e canos devem ser checados todos os meses

Coloque tela nas janelas Colocar telas em portas e janelas ajuda a proteger sua família contra o mosquitos

 lixo Não despeje lixo em valas, valetas, margens de córregos e riachos. Em casa, deixe as latas de lixo sempre bem tampadas.

Uso de inseticidas e larvicidas Tanto os larvicidas quanto os inseticidas distribuídos aos estados e municípios pela Secretaria de Vigilância em Saúde têm eficácia comprovada, sendo preconizados por um grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde.

Uso de repelente O uso de repelentes, principalmente em viagens ou em locais com muitos mosquitos, é um método importante para se proteger contra a as doenças transmitidas pelo Aedes. Recomenda-se, porém, o uso de produtos industrializados. Os repelentes caseiros, como andiroba, cravo-da-índia, citronela e óleo de soja não possuem grau de repelência forte o suficiente para manter o mosquito longe por muito tempo. Além disso, a duração e a eficácia do produto são temporárias, sendo necessária diversas reaplicações ao longo do dia, o que muitas pessoas não costumam fazer.

Todos nós podemos juntos ajudar no controle dessa epidemia.

Imagens: Reprodução

Sobre o autor

Jane Rezende

Jane Rezende

Jane Rezende é médica pediatra.

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: