Flacidez e mamas caídas? Conheça a mastopexia

Reprodução

Muitas mulheres que apresentam flacidez e caimento das mamas em função do envelhecimento, variação do peso ou da amamentação, procuram a mastopexia para um reposicionamento dos seios, evitando que eles.

Essa cirurgia, também conhecida como lifting de mamas, é feita por um cirurgião plástico, em ambiente hospitalar, e a recuperação geralmente é de cerca de 2 a 12 meses para os seios desincharem e alcançarem o formato final.

Essa cirurgia visa deixar os seios mais harmoniosos, retirando o excesso de pele, remodelando as mamas, e deixando-as com aspecto mais firme, arredondado e harmonioso.

O cirurgião plástico da Clínica Sabath, Dr. Hugo Sabath, explica que a mastopexia pode ser realizada com implante de silicone ou não, dependendo da quantidade de tecido mamário. Geralmente, o tempo para a realização do procedimento é de 1 a 4 horas.

Mastopexia clássica: essa cirurgia é realizada sem utilizar próteses de silicone. É feita a retirada do excesso de pele e o reposicionamento do tecido mamário para dar um novo contorno à mama. Em alguns casos, também retiram-se gorduras ou glândulas a fim de dar aos seios um formato mais harmonioso.

Mastopexia com prótese: existem casos em que a mama está com espaços vazios, que precisam ser preenchidos pelo silicone para ser devolvida a firmeza e a sustentação dos seios.

Peri aureolar: o corte e a cicatriz se mantém discretos, é feito apenas em alguns casos, especialmente para mamas menores que não é necessário remover muita quantidade de pele;

Tipos de cortes e cicatrizes:

Peri aureolar e vertical: esse método é realizado quando a aréola precisa subir, mas não é necessário retirar muita pele. Para casos em que a paciente apresenta mamas pequenas e pouco caídas, com reposicionamento de aréolas, correção de tecido mamário e excesso de pele. Também podem ser utilizados implante de prótese com essa técnica. Esse método permite o estreitamento da mama melhorando a definição do colo.

T-invertido: técnica utilizada muito frequentemente em casos em que é necessário retirar uma grande quantidade de pele. O corte e a cicatriz acompanham o contorno da aréola e o contorno inferior dos seios. Embora seja um método que resulta em cicatrizes maiores, a técnica alcança um grau maior de elevação da mama.

“Somente na consulta com o médico-cirurgião plástico é analisado e decidido em senso comum qual a técnica mais indicada e adequada para a paciente.” destaca o Dr. Sabath.

Após fazer o corte, o médico retira o excesso de pele, remodela os seios, reposiciona as aréolas e fecha os cortes com pontos, adesivos de pele ou fita cirúrgica.

A cirurgia de mastopexia é indicada quando:

  • As mamas são muito caídas e sem volume;
  • As mamas são mais alongadas;
  • Os mamilos são caídos, posicionados abaixo das dobras da mama;
  • Os mamilos apontam para baixo;
  • As aréolas são desproporcionais ao tamanho do seio;
  • Um seio mais flácido que o outro.

 

“Pessoas com doenças autoimunes, como o lúpus eritematoso sistêmicos, ou doenças crônicas, como diabete, hipertensão ou insuficiência cardíaca, devem evitar a cirurgia sob o risco de piorarem o quadro da doença.” finaliza o Dr. Hugo Sabath.

 

 

 

Mais Sobre Hugo Sabath:

CRM – 131199

Graduação em Medicina – Universidade Católica Boliviana – UCB – Bolívia – Residência – Especialização em Cirurgia Geral – Hospital Universitário Japonês – Bolívia

Graduação em Medicina. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

Orientador: UFRN -UFPB. – Residência – Cirurgia Geral – Hospital Stella Maris – Brasil

Residência – Cirurgia Plástica – Faculdade Medicina do ABC Hospital Santa Catarina

Reconstrução mamária com experiência na área de medicina , ênfase em Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica. – AC Camargo

Cirurgião Plástico – Clínica Sabath Hospital Assunção, Hospital Brasil, Hospital Santa Catarina – Hospital São Luiz – Hospital Ruben Berta – Hospital San Gennaro – São Paulo, Brasil

Equipe Cirúrgica Pós Bariátrica – Grupo Ana Rosa Hospital Assunção, Hospital Brasil, Hospital Santa Catarina – Hospital São Luiz – Hospital Ruben Berta – Hospital San Gennaro – São Paulo, Brasil

Cirurgião Plástico – Reconstrução Mamária Hospital Oncológico de Santa Cruz de La Sierra – Bolívia Mutirão de Cirurgias Plásticas Reconstrutivas Hospital SAIDA – Líbano

Membro da FILACP

Membro Titular da Sociedade Boliviana de Cirurgia Plástica

Membro ISAPS

Membro Internacional Sociedade Americana de Cirurgia Plástica

Titulo de Especialista Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Membro IPRAS.