Futebol Internacional

Forlan rasga elogios a Tite e aponta Brasil como favorito na Copa

Redação
Escrito por: Redação

Pela primeira vez desde a Copa do Mundo de 1990 na Itália, Diego Forlan assistirá a um Mundial fora de campo, como torcedor. Jogando em Hong Kong, defendendo o Kitchee, o eleito melhor jogador da Copa de 2010 concedeu entrevista ao site da Fifa e não poupou elogios ao técnico Tite e sua seleção.

“Tem duas seleções na minha lista (de favoritas): Alemanha e Brasil. O Brasil está jogando muito bem. Eles têm um ótimo treinador e Neymar está em excelente forma. A maneira como ele vem jogando semana sim, semana não, ele logo estará brigando com Cristiano Ronaldo e Lionel Messi para ser o melhor do mundo. Tite tem jogadores muito bons e ele pode remontar o time, deixando-o muito mais sólido defensivamente. Ele realmente gosta de pensar lá na frente e é muito astuto taticamente. Se as coisas ficarem como estão, eles tem grandes chances”, exaltou.

Perguntado, então, se ele apostaria na Seleção canarinha no caso de uma final contra a Alemanha, Forlan não titubeou. “Claro (que apostaria no Brasil), porque eles são sul-americanos e tenho muito carinho por eles. Meu pai jogou pelo São Paulo por muitos anos, eu joguei no Brasil também e fiz muito amigos lá. Eu preferiria o Brasil, porque eles são vizinhos e seria muito bonito para ele depois da dura derrota que sofreram em 2014”, frisou.

Agora como torcedor, Forlan disse também acreditar que o Uruguai tem potencial para ser líder na competição. “(O objetivo do Uruguai) é desempenhar um papel de liderança, sem dúvidas. O mais importante é passar da fase de grupos, que a parte mais difícil. Às vezes, você começa perdendo o primeiro jogo, o que aconteceu conosco no Brasil, e aí você precisa ganhar para se manter vivo na competição. Não há adversários fáceis, mas o Uruguai tem um time suficientemente bom para estar entre os grandes times. Apesar de sermos um país pequeno, nós sabemos que a maioria dos jogadores que conhecem ou já nos enfrentaram preferem evitar o Uruguai. Ninguém gosta de jogar contra nós, o que é uma ótima sensação”, destacou.

Sobre a ausência de grandes seleções como Itália, Holanda e Chile, o camisa 10 não se disse surpreso. “Não, não fiquei surpreso. Nós ganhamos duas Copas do Mundo e mais Copas América que qualquer um e mesmo assim ficamos de fora algumas vezes. No futebol moderno, todo mundo pode ganhar de todo mundo. A Itália ganhou o título em 2006 e foi eliminada na fase de grupos em 2010 e 2014. Você não ganha as coisas por causa de sua história, da camisa ou dos nomes na escalação. É tudo sobre o aqui e agora”, completou. Com informações da Gazeta Esportiva.

Imagem de capa:Divulgação)

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: