Assunto de Macho Tom Nishi

História da Cerveja no Brasil – Parte 1

Tom Nishi
Escrito por: Tom Nishi

Por Tom Nishi

Hoje, a cerveja é a bebida alcoólica mais popular do Brasil. Mas
quando exatamente ela chegou aqui? Acredita-se que em 1637, o
nobre holandês Maurício de Nassau, contratado pela Companhia
Holandesa das Índias Ocidentais para administrar Pernambuco,
chegou ao Brasil trazendo com ele o cervejeiro Dirck Dicx. Em
outubro de 1640, eles teriam aberto a primeira fábrica de cerveja
das Américas, numa residência chamada “La Fontaine”. Era uma
bebida encorpada, feita com cevada e açúcar.

Apesar desses registros detalhados, até hoje não se tem certeza se isso de fato
ocorreu. O que se sabe é que nessa época o vinho e a cachaça
eram as bebidas mais populares, porque os portugueses forçavam
a venda dos seus vinhos e o comércio de importação e exportação
era exclusivo com Portugal. Inclusive, em 1785, a rainha Dona
Maria I assinou um alvará que proibia a existência de fábricas e
manufaturas na Colônia.

Em 1808, quando a Família Real portuguesa desembarcou no Brasil, muita coisa mudou.

Há relatos de que o rei Dom João consumia muita bebida e gostava de uma
cervejinha. Assim, ao chegar, ele decretou a abertura dos portos às
nações amigas e revogou o alvará da rainha sua mãe. Até 1814, a
abertura dos portos beneficiou exclusivamente a Inglaterra, o que
significava que a cerveja consumida no Brasil era de origem
britânica, que dominou o mercado até 1870.

A partir da segunda metade do século, por influência da imigração, a preferência passou
a ser pela cerveja alemã. Ela vinha em garrafas e em caixas, ao
contrário das inglesas, que vinham em barris. A cerveja alemã era o
oposto da inglesa: clara, límpida, conservava-se melhor e agradava
mais ao paladar. Foi então que nasceu o hábito de beber cervejas
em garrafas de vidro.

Imagem: Reprodução

Sobre o autor

Tom Nishi

Tom Nishi

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: