Z1 Cidades

Holambra: Produtores de flores esperam alta de 10% nas vendas no Dia dos Namorados

Redação
Escrito por: Redação

O comércio florista de Holambra (SP) prevê um crescimento de 10% nas vendas durante o Dia dos Namorados em relação a mesma época do ano passado. Os produtores estavam apreensivos durante a mobilização dos caminhoneiros entre os dias 21 e 31 de maio. As entregas ficaram paradas.

As flores comercializadas na data começam a ser vendidas duas semanas antes do dia 12 de junho em leilões que movimentam tanto o mercado brasileiro quanto de alguns países da América Latina. Por causa da greve, cinco leilões deixaram de ser feitos, algo inédito em mais de 30 anos. Com isso, todas as vendas foram concentradas em menos da metade do tempo.

Rosas são uma das flores mais procuradas durante o Dia dos Namorados (Foto: Reprodução/EPTV)

Rosas são uma das flores mais procuradas durante o Dia dos Namorados (Foto: Reprodução/EPTV)

Em um único dia, foram comercializados mais de 5 mil e 400 carrinhos de flores dos mais variados tipos, o que somou, pelo menos, mais de 2 milhões de unidades vendidas para o Dia dos Namorados, 45% a mais do que era esperado para a data festiva. Os floristas estavam apreensivos com a volta das vendas pós-paralisação pois imaginavam que os preços pudessem aumentar e afugentar os clientes.

Entre as variedades de flores mais procuradas pelos apaixonados para presentear nesta terça, estão os lírios, as orquídeas e as rosas. Diferente das outras, a rosa vermelha teve aumento significativo de preço: antes era vendida por R$0,90 a haste. Nesta semana, ela sai por R$2, praticamente o dobro do valor cobrado anteriormente.

Preço de rosas vermelhas foi duplicado por conta de perdas na produção (Foto: Reprodução/EPTV)

Preço de rosas vermelhas foi duplicado por conta de perdas na produção (Foto: Reprodução/EPTV)

Prejuízos na produção

Mas não é todo mundo que ficou feliz com o aumento das vendas. Carlos Alberto Marangon, gerente de produção em uma produtora, conta que algumas flores cultivadas pela empresa tiveram que ser descartadas porque passaram do ponto causando um atraso de 8 meses na produção, o que encareceu o custo em 20%.

Produtores tiveram que descartas algumas flores por conta da perda na qualidade (Foto: Reprodução/EPTV)

Produtores tiveram que descartas algumas flores por conta da perda na qualidade (Foto: Reprodução/EPTV)

Ele ainda explica que todos os prejuízos não podem ser repassados aos clientes. “Não tem como repassar o preço pro consumidor, porque o preço é o mercado quem dita, então [o prejuízo] fica aqui com a gente mesmo”, explica Marangon.

Para se ter uma ideia do tamanho da perda, em uma semana são vendidos 60 mil vasos de orquídeas. Por conta dos 10 dias em que os caminhoneiros estiveram parados, as vendas cairam 20% e 5% das flores precisaram ser jogadas fora porque perderam a validade.

“A gente teve que vender toda a produção da semana passada e desta semana em poucos dias para conseguir atender o mercado e a demanda. Mas apesar disso, fizemos um bom comércio pro dia dos namorados”, afirma o produtor. Com informações do G1

Imagem de capa:

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: