Banner Mega Maio 728x90
Comportamento Vitor Carneiro

Mães são ‘Marias’ com suas múltiplas tarefas

Vitor Carneiro
Escrito por: Vitor Carneiro
Automotivos 728x90

Por Vítor Carneiro – O século XXI (21) está repleto de muitas “MARIAS” que desenvolvem a arte das múltiplas funções, inclusive as de serem mães, o que costumeiramente acarreta em inúmeras tarefas. “MARIAS” que vivem à beira de abismos, que diariamente são confrontadas por diversos desafios, mas carregam dentro de si uma fantástica capacidade de superar obstáculos. Há…! O que seria da humanidade sem tais guerreiras?

Mas, como falar das “MARIAS”, de mulheres a mães com suas singularidades, particularidades, peculiaridades e potencialidades, sem incorrer em falar besteiras? De fato, é uma incrível missão e vamos arriscar!

Incrível que, ao tomar conhecimento das batalhas de muitas delas, pude observar que só a razão de serem mulher, no decorrer da história já por si só, envolve uma força, coragem, destemor e uma persistência que independentemente das eventualidades, das tensões, das oposições e das incertezas, elas permanecem confiantes e não arredam o pé.

A canção com o título: Maria, Maria, interpretada por Milton Nascimento, nos fornece a oportunidade da tentativa de tecer alguns comentários sobre esta MARAVILHOSA CRIAÇÃO DE DEUS com propósitos definidos e um dentre eles é exatamente a dadiva de ser mãe.

Maria, Maria

É um dom, uma certa magia

Uma força que nos alerta

Uma mulher que merece

Viver e amar

Como outra qualquer

Do planeta

Maria, Maria

É o som, é a cor, é o suor

É a dose mais forte e lenta

De uma gente que ri

Quando deve chorar

E não vive, apenas aguenta

Mas é preciso ter força

É preciso ter raça

É preciso ter gana sempre

Quem traz no corpo a marca

Maria, Maria

Mistura a dor e a alegria

Mas é preciso ter manha

É preciso ter graça

É preciso ter sonho sempre

Quem traz na pele essa marca

Possui a estranha mania

De ter fé na vida

Já estes trechos da canção CINDERELA – Grupo AO CUBO, revelam muito do que se passa na mente e no coração da vida cansada de muitas delas:

Já fui formosa, já fui donzela,

monumento de perfeição que revela

Charme de suprema doçura, a mais bela,

brilho de estrela, vulgo Cinderela

Já tiveram inveja da flor da minha idade,

o mel da formosura, que adoçava minha imagem

Por isso já abusaram da minha boa vontade,

respeito, bondade, virtude e coragem

… Mas eu nasci menina com sonhos, fantasias,

um galanteador, príncipe encantado é o que eu queria

Debutante, vestido deslumbrante de cetim,

carruagem, paisagem, perfumada de alecrim

Festa no jardim, champanhe, Tim-Tim,

e a valsa sem pausa, só eu e o príncipe enfim

Quem nunca tentou ser feliz, e se entregou,

assim como eu fiz

Sem medo, sem segredo.

Eu te amo meu amor, juntos pelo mundo,

aconteça o que for

Toda princesa um dia, vai se tornar rainha, mas

O tempo passa, o sonho acaba, só não pode olhar pra trás…

“MARIAS” QUE SÃO MÃES solidárias, amigas e acolhedoras.  Indignadas que muitas das vezes não indagam e múltiplas no executar de suas tarefas! Certamente é a prática cotidiana da resistência que lhes promovem a capacidade de serem polivalentes!

Uma coisa parece ser óbvia: ser mulher é trazer na sua essência, uma fé toda especial, é ser mãe que eterniza os filhos em seu colo, é ser uma guerreira imersa na correria de cada dia que parece transpor as vinte e quatro horas, no enfrentar as turbulências do cotidiano e, ainda assim, encontrar tempo para sua cria.

 No livro de Provérbios capítulo 31 Salomão faz a seguinte observação: “Uma esposa exemplar; feliz quem a encontrar! É muito mais valiosa que os rubis… Ela avalia um campo e o compra; com o que ganha planta uma vinha… Entrega-se com vontade ao seu trabalho; seus braços são fortes e vigorosos. Reveste-se de força e dignidade; sorri diante do futuro. Fala com sabedoria e ensina com amor. Cuida dos negócios de sua casa e não dá lugar à preguiça. Seus filhos se levantam e a elogiam;…” Certamente são as marcas de quem não desiste e bota uma energia na alma que transpassa os não das circunstâncias.

Mas afinal de contas, quantas mulheres cabem dentro de uma mulher? Rsrsrs. Pelo jeito, tantas quantas forem necessárias…

Tais “MARIAS”, quando na condição de mãe, e em ser profissional, chama para si todas as responsabilidades que são peculiares a cada papel desempenhado, disposta a suportar e superar as consequências advindas desse processo das escolhas de vida.

 UM FELIZ DIA DAS MÃES A TODAS AS “MARIAS” QUE BATALHAM E SE DOAM INSISTENTEMENTE POR SUA PROLE, QUE SE DOAM EM AÇÕES, AMOR E LÁGRIMAS. QUE O SENHOR DEUS RENOVE SUAS FORÇAS E AS ABENÇOE NO SEU COTIDIANO!

Ensinará a voar…

Mas não voarão o seu voo.

Ensinará a sonhar…

Mas não sonharão o seu sonho.

Ensinará a viver…

Mas não viverão a sua vida.

Ensinará a cantar…

Mas não cantarão a sua canção.

Ensinará a pensar…

Mas não pensarão como você.

Porém, saberá que cada vez que voarem, sonharem, viverem, cantarem e pensarem…

Estará a semente do caminho ensinado e aprendido!

Madre Teresa de Calcutá.

Imagens: Reprodução

 

Sobre o autor

Vitor Carneiro

Vitor Carneiro

Vítor Carneiro, é pastor e palestrante.

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: