Mundo tem 1 bilhão de pessoas com deficiência excluídas de tecnologias de apoio

OMS e Unicef querem avanços para que grupo beneficie de serviços de educação, saúde e assistência social; relatório revela haver 240 milhões de crianças com este tipo de necessidade; estimativa é que 3,5 bilhões de pessoas precisem de cadeiras de roda, aparelhos auditivos ou aplicativos que apoiam a comunicação.

UNOCHA/Maxime Nama Meninas com deficiência jogam basquete na República Democrática do Congo

Um novo relatório destaca que quase 1 bilhão de adultos e crianças com algum tipo de deficiência estão excluídos do acesso a tecnologias de apoio.

No total, existem mais de 2,5 bilhões de pessoas carecendo de meios como cadeiras de rodas, aparelhos auditivos ou aplicativos de auxílio para a comunicação e cognição.

Tecnologias

Em nova publicação, apesentada esta segunda-feira, agências da ONU recomendam que seja dada prioridade à melhoria do acesso a sistemas de educação, saúde e assistência social para enfrentar a situação.

O Relatório Global sobre Tecnologia Assistiva sugere ainda que seja assegurada disponibilidade, segurança e eficácia, ao lado da acessibilidade a esses meios. A aposta deve incluir a diversificação, o avanço da capacidade desta força de trabalho e o envolvimento ativo dos usuários de tecnologia e suas famílias.

O mundo tem 240 milhões de crianças que vivem com algum tipo de deficiência
© Cycling Without Age
O mundo tem 240 milhões de crianças que vivem com algum tipo de deficiência

 

As recomendações da Organização Mundial da Saúde, OMS, e do Fundo da ONU para a Infância, Unicef, são feitas a governos, ao setor industrial e à sociedade civil.

Países de baixa e média rendas concentram a maioria dos excluídos ao acesso aos produtos de apoio. No grupo de nações há casos em que a cobertura chega a 3% das pessoas que precisam, em contraste com cerca de 90% nos países ricos.

O estudo inédito ressalta um déficit global e de acesso a produtos assistivos. O trabalho fornece indicações para expandir a disponibilidade e o acesso, além de defender o aumento da conscientização sobre o tipo de necessidade e da inclusão para melhorar a qualidade de vida de milhões de pessoas.

Potencial

Para o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, OMS, Tedros  Ghebreyesus, negar o acesso à tecnologia assistiva não é apenas uma violação dos direitos humanos, mas “economicamente míope”. O apelo feito aos países é que financiem e priorizem o acesso à tecnologia assistiva e deem a todos a chance de viver de acordo com seu potencial”

Benefícios de produtos assistivos envolvem a melhoria da saúde
Unicef/Herwig
Benefícios de produtos assistivos envolvem a melhoria da saúde

 

A diretora executiva do Unicef, Catherine Russell, disse haver 240 milhões de crianças com deficiências. Sem direito aos produtos essenciais para progredir, elas são afetadas em níveis individual, familiar e comunitário.

A chefe da agência declarou que sem acesso à tecnologia assistiva, as crianças com deficiência continuarão a perder a educação, seguindo em maior risco de trabalho infantil e sujeitas ao estigma e à discriminação, que minam sua confiança e bem-estar.

Prevalência

O relatório observa que até 3,5 bilhões de pessoas precisarão de um ou mais produtos de apoio até 2050. As razões para o aumento incluem o envelhecimento da população e a prevalência de doenças não transmissíveis em todo o mundo.

A acessibilidade financeira é uma grande barreira, observa o relatório. Cerca de dois terços das pessoas com produtos de apoio relataram ter feito pagamentos diretos e que contaram com a família e amigos para apoiar financeiramente suas necessidades.

Menores com deficiência têm desafios adicionais devido ao seu crescimento
Unifeed Video
Menores com deficiência têm desafios adicionais devido ao seu crescimento

 

Pesquisas anteriores observam que as principais barreiras são falta de conscientização e de preços inacessíveis para serviços, produtos de qualidade, variedade e quantidade inadequadas, desafios para compras e cadeia de suprimentos.

Os benefícios de produtos assistivos envolvem a melhoria da saúde, do bem-estar, da participação e da inclusão de usuários.

Emprego

Com uma qualidade garantida, segura e acessível um melhor cenário permitiria baixar custos de saúde e bem-estar, como internações hospitalares recorrentes ou benefícios estatais. Outra vantagem seria ter uma força de trabalho mais produtiva, estimulando indiretamente o crescimento econômico.

O acesso à tecnologia assistiva para crianças com deficiência é frequentemente o primeiro passo para o desenvolvimento infantil, acesso à educação, participação em esportes e vida cívica e melhor preparação para o emprego.

A publicação ressalta que crianças com deficiência têm desafios adicionais devido ao seu crescimento. A situação requer frequentes ajustes ou substituições de seus produtos de apoio.