No primeiro trimestre, aumenta o emprego formal em Indaiatuba e região

Foram gerados 211.369 postos de trabalho

56
Foto: Agência Brasil/Ilustrativa

De acordo com o Seade, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no 1º trimestre de 2021, foram gerados 211.369 (1,7%) postos de trabalho no Estado de São Paulo. Em comparação com o 1º trimestre de 2020, o aumento foi de 147.853 (1,2%) postos de trabalho.

 O estoque de empregos formais do estado, em março de 2021, totalizava 12.451.343, o que representa 31,0% do total de empregos do Brasil.  

 Por setores da economia, houve acréscimos na construção (6,1%), na indústria (3,1%) e nos serviços (1,6%) e relativa estabilidade no comércio (0,2%) e na agricultura, pecuária e pesca (-1,1%).

 Destacam-se ainda as ocupações com maior número de admissões: alimentadores de linha de produção; técnico de enfermagem; trabalhadores da cultura de cana-de-açúcar; assistentes administrativos e faxineiros. E, no sentido oposto, aquelas com maior número de demissões: trabalhadores no cultivo de árvores frutíferas; vendedores de comércio varejista; operadores de caixa; atendentes de lanchonete; atendentes de lojas e mercados.

 Na Região Metropolitana de São Paulo, 90.613 (1,4%) postos de trabalho foram criados no 1º trimestre, o que representa 44.943 (0,7%) postos de trabalho a mais na comparação com o mesmo período do ano anterior.  Em março de 2021, os empregos formais da RMSP representavam 52,8% do total do estado.

 No primeiro trimestre, apenas a Região Administrativa de Barretos não apresentou crescimento, sendo positivos em todas as demais, com destaque para as RA de Campinas (44.987), RM de Sorocaba (11.179), RA Ribeirão Preto (10.413) e RA de SJ Rio Preto (10.300).

 O Seade – Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados –   é a agência paulista de estatísticas que há mais de 40 anos coleta, analisa e dissemina dados sobre o Estado de São Paulo.