Comportamento Vitor Carneiro

O problema com a fé em nós mesmos

Vitor Carneiro
Escrito por: Vitor Carneiro

Por Vítor Carneiro – De verdade não sei se este tema será o ideal para expressar o que desejo compartilhar, mas vamos lá. No último sábado (01/09/2018) num agradável bate papo com um querido amigo e sua esposa estávamos refletindo sobre nossas diversas problemáticas como pessoa e a forma em que as mesmas acabam influenciando no nosso dia a dia como sociedade, ou seja, no nosso convívio e bem-estar social. Algo que chegamos à conclusão é que dentre as principais uma especificamente está relacionada as problemáticas da nossa autoestima que sempre estão de volta. Bem, Nelson Rodrigues, jornalista e romancista dentre outros dons, afirmava que eu você, como herança de ser brasileiros, somos um Narciso (Mitologia grega – Aquele que se apaixona por sua própria imagem) só que “ao contrário”. Para ele, sofremos do complexo de inferioridade diante das grandes potências mundiais, isso ao comparar os males do Brasil com as qualidades dos países estrangeiros.

Narcisismo é um conceito da psicanálise que define uma pessoa que admira exageradamente a sua própria imagem e nutre uma paixão excessiva por si mesmo. Este termo, que segundo a mitologia grega, é derivado de Narciso: um belo jovem que despertou o amor da deusa Eco. Mas Narciso rejeitou esse amor e por isso foi condenado a apaixonar-se pela sua própria imagem refletida na água. Detalhe, Narciso acabou cometendo suicídio por afogamento. Segundo os estudiosos, as pessoas narcisistas são frequentemente fechadas, egocêntricas e solitárias.

Verdade é que por vezes criamos uma redoma sobre nós mesmos, seria um conjunto de defesas que nem sempre nos define como realmente somos. Elas podem nos apresentar como pessoas alegres, tolerantes, flexíveis, solidárias e pacíficas, enfim, qualidades que podem ser meras aparências. Sendo assim, nossa autocrítica e autoconhecimento sobre nosso “ser” está totalmente divorciada da realidade. De frente ao espelho não nos reconhecemos, pois, a imagem por ele refletida não é de fato a nossa.

Ainda sobre esta questão, devemos nos policiar para não vivermos numa crise de identidade aprisionados num cativeiro de remorsos, ódios e rancores pessoais e sociais. Nossa imagem refletida pode estar desiludida.

Observemos a grandiosa sabedoria de Jesus ao relatar sobre a questão do comportamento humano. Para algumas pessoas, o mundo existe somente em função delas, para espelhar e refletir as suas incontáveis qualidades de ser “único, especial e inalcançável”. Na parábola de Jesus em Lucas 18.9-14, para o fariseu narcisista, o próximo e Deus também são espelhos.

“Jesus também contou esta parábola para os que achavam que eram muito bons e desprezavam os outros: — Dois homens foram ao Templo para orar. Um era fariseu, e o outro, cobrador de impostos. O fariseu ficou de pé e orou sozinho, assim: “Ó Deus, eu te agradeço porque não sou avarento, nem desonesto, nem imoral como as outras pessoas. Agradeço-te também porque não sou como este cobrador de impostos. Jejuo duas vezes por semana e te dou a décima parte de tudo o que ganho.”. — Mas o cobrador de impostos ficou de longe e nem levantava o rosto para o céu. Batia no peito e dizia: “Ó Deus, tem pena de mim, pois sou pecador!”. E Jesus terminou, dizendo: —Eu afirmo a vocês que foi este homem, e não o outro, que voltou para casa em paz com Deus. Porque quem se engrandece será humilhado, e quem se humilha será engrandecido.

Todos devemos aprender a ter entendimento sobre tempo que estamos vivendo: Certa vez Jesus chega para um determinado grupo de pessoas e diz: “Hipócritas, sabeis discernir a face da terra e do céu; como não sabeis então discernir este tempo?” Sua fala está nas Sagradas Escrituras no livro de São Lucas capítulo 12 e nos versículos 54 e 56 “… Quando vocês veem uma nuvem subindo no oeste, dizem logo: “Vai chover.” E, de fato, chove. E, quando sentem o vento sul soprando, dizem: “Vai fazer calor.” E faz mesmo. Hipócritas! Vocês sabem explicar os sinais da terra e do céu. Então por que não sabem explicar o que querem dizer os sinais desta época?”

Assim que nos mudamos para a cidade de Indaiatuba – São Paulo, sofríamos com a questão climática, todos os dias eram de muito calor. O interessante é que por diversas vezes em dias nublados ficávamos felizes em nosso entendimento de que iria chover. Há, não tenha dúvidas de que com uma expressão alegre compartilhávamos com algumas pessoas sobre tal convicção, porém as mesmas com suas experiências regionais sobre o assunto nos desanimavam das expectativas e para nossa frustração estavam sempre certos rsrsrs. Bem, Jesus estava falando exatamente desta capacidade que possuímos de fazer tal leitura sobre a questões climáticas e não conseguirmos fazer uma leitura do momento ou da época em que estamos vivendo e suas consequências sobre nossas vidas.

Continuando! Ainda a mesa nos lembramos de outra expressão de Nelson Rodrigues conhecida por “complexo de vira-latas”! O termo definiu a falta de autoestima dos brasileiros. Tudo teria começado com a derrota da seleção brasileira na Copa de 1950. Esse título, “Complexo de Vira-latas” uma crônica data de 31 maio de 1958, pouco tempo antes de o Brasil embarcar para a Suécia, em busca daquela que seria a sua primeira conquista de uma Copa.

Trata-se da última crônica antes da estréia do Brasil na Copa e basicamente estava dizendo: entendo eu a inferioridade em que nos colocamos voluntariamente, em face do resto do “mundo”, devido o ocorrido na copa de 1950.

Bem, certamente e claramente precisamos nos convencer de que em qualquer situação não somos um vira-latas e que temos potencial para “dar e vender”! E temos sim, vem do próprio Deus ao nos criar. Então qualquer tipo de problema com a fé em nós mesmos deve ser resolvido com a nossa fé em Deus. Todos temos a capacidade de vacilar entre o pessimismo mais ignorante, estupido e insensível e a esperança mais frenética ou exaltada. Mas, esta fé saudável em nós mesmos como resultado da nossa fé em Deus traz equilíbrio e sonhos palpáveis para nossa vida.

Se alguém diz: “Este lugar não é bom”, concluímos que este alguém conhece outros lugares, viveu ou vive em outros lugares, pois não é possível se fazer comparações sem possuir um parâmetro. Deus é onisciente, ou seja, a única pessoa no universo cujo saber é ilimitado!

Necessitamos lembrar diariamente que somos humanos, e nossa capacidade intelectual de criar é compatível com a nossa dificuldade em resolver. Possuímos habilidades para criar e ao mesmo tempo deixamos de ser habilidosos para resolver e como nessa vida temos coisas para resolver. A incapacidade não deve gerenciar a nossa mente e sim a criatividade aliada a fé e a esperança. Somos muito mais do que imaginamos.

Provérbios 16.1 “Ao ser humano foi concedida a capacidade de planejar, entretanto, é o SENHOR quem dá a palavra certa.”

Bem, importante lembrar que o pessimismo sempre corromperá o nosso desenvolvimento, impedindo-nos de revelar nossas conquistas e abraçar o que lutamos para conseguir.

De acordo com Nelson, o brasileiro precisa se convencer de que não é um vira-lata. Uma vez que nos convençamos, seremos capazes de libertar a capacidade de mudar o que precisa ser mudado; e reconhecer o que já construímos diante de tantos empecilhos.

Um grande problema sobre a desilusão nesta questão da fé em nós mesmos é que sob um pavor delirante, pode alguém abrir o armário atrás do espelho, retirar de um frasco e jogar contra a mão espalmada vários comprimidos e os engolir, antes que seja irreversível o surto de lucidez.

Imagens: reprodução

Sobre o autor

Vitor Carneiro

Vitor Carneiro

Vítor Carneiro, é pastor e palestrante.

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: