Gastronomia Juarez Donizete

O segredo da vida para o apreciador de vinho

Juarez Donizete
Escrito por: Juarez Donizete

Por Juarez Donizete – Quando se pensa em vinho muitas pessoas logo já associam o vinho como uma bebida alcoólica, a quem o aceita como um alimento, mas outros que reconhecem o potencial associado que tem em uma taça de vinho.

O maior componente do vinho é a água biológica, com cerca de 80% de seu volume. Quanto mais encorpado o vinho menos água ele possui.

Falar de vinho é apaixonante, cultural e acima de tudo gera boas amizades. O vinho requer mais do que prestar atenção, pois uma degustação é para extrair do vinho tudo o que ele tem para oferecer.

O ato de degustação envolve obrigatoriamente as três fases com olhar, cheirar e levar a boca,no paladar geração de sabores, os profissionais dizem prova sensorial, mas nós podemos entender como  “Degustação, o ato de beber prestando a atenção´´

É o ato de aplicar as fases de uma degustação, começando quando olhamos na taça a sua cor vivaz reluzindo semelhante a um por de sol, sentir as nuances de seus aromas intensos de liberdade e aprecia-lo no paladar com ataque em boca no toque sutil que ativa as percepções sensoriais do frescor de amizade, aquecimento de um abraço, doçura do amor das pessoas, adstringências dos tropeços da vida que culmina com o final elegante somado com a persistência de sempre buscar aquilo que nos faz feliz.

O vinho não é complexo conforme alguns acreditam que ele seja, pois talvez por seu veículo de apreciação seja a taça que pode ser de vidro ou cristal inglês.

Mas podemos deixar as formalidades de lado e se entregar aos prazeres que uma taça de vinho, pois ativa nossa serotonina e inibi a o aumento do cortisol, assim se melhora o humor e a autoestima e pode melhorar a nossa capacidade de pensar e viver.

Vinho desde que seja proveniente de uvas viníferas deve ser apreciado sem preconceito e sem regras o importante e gerar felicidade.

Saber ou conhecer sobre vinho é muito importante, nunca é tarde para apreciá-lo.

Disse-me um Amante de vinho``Só vou saber tudo sobre vinhos quando eu morrer´´

O tempo traz a resposta pra tudo até pra escolher um bom. Existe um livro que diz que há 1000 vinhos para beber antes de morrer, interessante saber, mas prefiro viver. Sem dúvidas o vinho ainda que existam vários estilos eles são como nossa vida, muitos dizem que a vida é curta pra tomar vinhos ruins. Mas não existem vinhos ruins o que existem são os vinhos que não é pra você.

Mas o bom da vida é que temos o livre arbítrio, assim como amizades iremos escolher aquilo que é bom, que concentra valores, que são macios, que seus taninos pode se arredondar e assim se tornam mais agradáveis e possuem um tempo de maturação que podemos chamar de tempo para o amadurecimento. Hoje muitos Vinhos são elaborados para se apreciar ainda jovens, sem a necessidade de envelhecer assim também são os amigos, que não importa a idade sempre serão os mesmos jovens amigos.

E pra finalizar digo que vinhos são encantadores, elegantes e fontes de amizades.

Vida longa ao rei!!         

Imagens: reprodução

Sobre o autor

Juarez Donizete

Juarez Donizete

Juarez Donizete Sommelier Internacional Fisar Diretor na Enoteca Trattoria do Vinho

Deixe um Comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
%d blogueiros gostam disto: