Futebol Brasil

Paciência, santistas: Conmebol adia definição do caso Sánchez para terça

Redação
Escrito por: Redação

A Conmebol adiou a definição do caso de Carlos Sánchez. Após mais desde sete horas desde o início do julgamento no Paraguai, a confederação deve dar o veredito nesta terça-feira. A informação foi inicialmente publicada pelo GloboEsporte.com. 

Santos e Independiente saberão da decisão da Conmebol poucas horas antes da bola rolar pela volta das oitavas de final da Libertadores da América, a partir das 19h30 (de Brasília), no Pacaembu.

Se o Peixe “vencer” no tribunal, o 0 a 0 de Avellaneda será mantido e uma vitória por qualquer resultado será suficiente. No contrário, o alvinegro terá desvantagem de 3 a 0 e precisará de uma reação histórica na capital paulista.

Se o Santos for punido, Sánchez deve ser titular. Renato está de sobreaviso. Outra dúvida está na zaga: Gustavo Henrique, após receber 15 pontos no supercílio no último sábado, contra o Bahia, é dúvida. Robson Bambu é a alternativa. Com Dodô suspenso, Diego Pituca será improvisado na ala esquerda.

ENTENDA O CASO

A Conmebol emitiu um comunicado na última quarta-feira informando sobre a investigação. Sánchez foi suspenso por três partidas em 2015, pelo River Plate, por ter agredido a um gandula contra o Huracán, em novembro, pela semifinal da Sul-Americana. O uruguaio não disputou outras partidas da Conmebol desde então.

A confederação, em seu centenário em 2016, declarou anistia para metade das suspensões. Arredondando para baixo, Sánchez teria que cumprir um jogo de pena. O Santos, porém, consultou o COMET, programa da Conmebol para conferência de suspensões, e viu Sánchez liberado (veja abaixo). 

“Não há risco. A torcida pode ficar tranquila. O Sistema COMET, da Conmebol, informa a baixa no cumprimento de sanções disciplinares ao Carlos Sánchez desde 24 de maio de 2018. É o único sistema oficial e eletrônico da Conmebol”, disse Rodrigo Gama Monteiro, gerente jurídico do Santos, à Gazeta Esportiva, na semana passada.

Na defesa, o Santos alegou outros casos onde o COMET foi levado em consideração e citou asituação de Zuculini, do River Plate, utilizado em sete partidas de forma irregular na Libertadores, sem sucesso.

Documento mostra Carlos Sánchez sem jogos de suspensão a cumprir no Comet, da Conmebol
Imagem: Ivan Storti/SFC

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: