Comportamento Vitor Carneiro

Pare de viver tão pequeno; liberte-se!

Vitor Carneiro
Escrito por: Vitor Carneiro

“Pare de viver tão pequeno”! Bem, um dia provavelmente muitos de nós tenhamos escutado este argumento se referindo à nossas escolhas e maneira de viver. Se não, talvez estejamos prestes a escutar e sinceramente espero que não. Em contrapartida, certamente outros tantos já ouviram: “Você nasceu com potencial. Você tem asas, aprenda a usá-las e voe. Você não está destinado a rastejar, então não rasteje”. Verdade é que: Nossa função é viver de forma que a vida faça sentido primeiramente para nós mesmos e não para aqueles que desejam nos subjugar. Ela tem de fazer sentido pra nós e não pra eles!

Interessante observar a história de Noé, personagem Bíblico, que deu início a um projeto enorme e “insensato”. Homem de coragem, de convicções, de continuidade e de fé! Para ele, não fez absolutamente nenhuma diferença o que os incrédulos pensavam ao seu respeito, até porque, seu foco estava sem pestanejar naquela importantíssima tarefa que recebera. Sim concluir projetos, estar focado, vencer o confronto dos descrentes sempre será um grande desafio. Nunca encontraremos facilidades para atingir nossos objetivos.

Sim, se olharmos para dentro de nós mesmos, se nossa crença for genuína, tudo o que determinarmos a realizar, possuímos total potencial para tal. E a partir de então, ou seja, no decorrer do processo, teremos de aprender a apreciar o bom quanto o ruim deste trajeto em nossas vidas tirando sempre um bom proveito de tudo.

Verdade nua e crua? Possuímos a capacidade de mudar o nosso mundo, porém, a partir do momento que realizarmos todas as mudanças necessárias em nós mesmo.

Há, que nunca, em hipótese alguma, venhamos desistir de nós mesmos. Principalmente quando estivermos passando por aquele tão temido período desértico, difícil, aquele quando tudo parece se opor. Sempre correremos o risco daquele sentimento de que sequer poderemos suportar mais de um minuto. Mas, o importante é a perseverança! Principalmente, naquela voz lá de dentro insistindo para não desistir! Esse será um grande divisor de águas, será o momento e lugar em que certamente o curso não irá se desviar!

Exatamente isto, quando vier o sentimento de que não pode sequer suportar mais de um minuto, não devemos em hipótese alguma desistir! Por vezes, principalmente no período das crises, carregamos em nossa imaginação a idéia de que estamos vivos somente pelo ar que respiramos. Que triste considerar estar vivos de uma forma tão limitada com todas as capacidades existentes dentro de cada um de nós!

“Onde há ruína, há esperança de um tesouro.” Rumi, que foi um místico, teólogo e poeta.

Não podemos viver de maneira tão pequena! Como fica o sentimento do Criador que investiu tanto de Si em cada um de nós? De verdade não há como negar que nascemos com potencial, sim, cada um de nós. Portanto, qualquer tipo de tesouro que supostamente possa ser encontrado fora de nós, nem de longe, poderá ser comparado com aqueles que existem, e seguramente existem, podendo ser encontrados dentro de cada um.

Ou seja, quando deixamos de ser aquilo que verdadeiramente somos, nos tornamos aquilo que no mínimo podemos ser.

Interessante que sempre que estou num consultório ou em outros locais que possuem revistas – para minimizar o tempo de espera – gosto analisar as mesmas. Se você também passa por esta experiência ou curiosidade, uma das coisas que juntos podemos concluir é que em sua grande maioria, e grande mesmo, tem a ver com o sucesso e a imagem dos outros, algo do tipo… até difícil de explicar. Não devemos simplesmente ficar satisfeitos com estas histórias de modelos, artistas, atletas e etc., não devemos nos anestesiar com coisas que têm acontecido com os outros. Necessitamos e talvez urgentemente desdobrar nosso próprio “mito”, fatos da nossa própria realidade.

Agora para que isso ocorra muitos de nós teremos de esquecer nossa segurança, ou seja, nosso local de comodismo para viver onde temos medo de viver. Sempre haverá algo que saberemos fazer melhor do que ninguém.

Todos recebemos dons para um trabalho em particular, e o desejo por esse trabalho certamente foi colocado em cada coração.

Pecamos pelo nosso próprio marketing pessoal, ou seja, pela infeliz construção da nossa imagem, não permitindo com isso que outros enxerguem prestígios e a capacidade que possuímos tanto para realizar quanto para influenciar.

Fui alertado para esta questão num café com um querido amigo Ricardo Villodre, ou Cacá Villodre, coach em gestão pessoal.

Ele também atentou para o fato de que o mercado de trabalho atual, e acredito que não só ele e sim “tudo” rsrsrs, é bastante concorrido e exige dos profissionais excelência em tudo o que exerce ou produz. E, para garantir “vender” uma melhor imagem para empresas, ou para pessoas, é preciso que realmente ocorra um investimento em si próprio.

O mundo mudou, e ninguém melhor para observar isto do que os da antiga o qual me incluo. Ele não permite comodismo e a “tristeza”, a partir de então, sempre deverá nos preparar para a alegria, porém, infelizmente tem ocorrido exatamente o oposto e a mesma tornou-se uma das maiores colaboradoras para a tão temida depressão.

Embora em nossos dias as redes sociais tenham se tornado uma das importantes fontes de quem somos, ou na linguagem atual do nosso marketing pessoal, nossas atitudes, porém sempre serão analisadas e avaliadas diretamente, ou seja, no tête à tête, no frente a frente. Então, nossa comunicação, nosso conhecimento, nossa linguagem corporal e nossa segurança ou a falta dela irá falar sobre nós mesmo.

Outro dia me deparei com o seguinte slogan, algo que seria como um grito de guerra, VOCÊ É SUA MELHOR MARCA! Confesso que o mesmo me conduziu a uma profunda avaliação pessoal. E por mais chato que seja, para um crescimento respeitoso em todos os sentidos é preciso aprender aceitar críticas ao longo do caminho.

Bem, que possamos viver sem precisar criar personagens para mostrar quem nós somos. Que possamos investir o máximo possível em nós mesmos, porém, com honestidade e retidão, ou seja, sem a necessidade de desprezar e cometer injustiças ao próximo. Quem nunca ouviu aquele velho ditado que diz: “quem não é visto não é lembrado”? Vamos à luta, afinal de contas, de que adianta ser um excelente profissional, alguém dotado de capacidades e qualidades extremamente valorizadas, se absolutamente ninguém souber disso? Não podemos nos omitir, permanecendo trancafiados em algum recinto sem ter nenhum contato com a luz do dia.

Como última reflexão, gostaria de citar a fala de Salomão: “Quem está entre os vivos tem esperança; até um cachorro vivo é melhor do que um leão morto!” Eclesiastes 9.2

Imagens: reprodução

Sobre o autor

Vitor Carneiro

Vitor Carneiro

Vítor Carneiro, é pastor e palestrante.

1 Comentário

Deixe um Comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
%d blogueiros gostam disto: