Cultura Flávia Camile

Precisamos falar sobre doenças mentais!

Redação
Escrito por: Redação

E encerramos a campanha do Setembro Amarelo, mês criado para a prevenção à vida. Mas, ainda é necessário que a conscientização sobre as doenças mentais não fiquem dependentes de campanhas esporádicas como esta.

Por isso, vale lembrar a pertinência de se discutir sobre saúde mental, pois ainda existe um tabu em torno deste assunto que consequentemente faz com que muitas pessoas se sintam desconfortáveis ou até mesmo culpadas ao se enquadrarem nos sintomas depressivos e/ou de ansiedade.

Para isso, o objetivo da matéria de hoje é o de proporcionar condições para que todos sejam capazes de observar pequenos sinais em si mesmos e até mesmo nas pessoas ao redor, para que dessa forma possam procurar ou até mesmo oferecer auxílio àquele que estejam precisando de apoio.

Então, como identificar alguns sinais?

Prestar atenção em si mesmo é o melhor caminho pra identificar quando os sinais deixam de ser uma tristeza ou frustação momentânea para algo patológico.

Saiba que sentir o coração acelerar constantemente e sem motivo, não é sadio.

Dormir chorando todas as noites, não é sadio.

Se sentir sempre pior que todo mundo, não é sadio.

Não ficar feliz com as próprias conquistas, não é sadio.

Se sentir sempre deprimido e chateado, não é sadio.

Estar com a mente sempre agitada e não conseguir dormir, não é sadio.

Se sentir completamente abatido com uma crítica, não é sadio.

Não se sentir confortável com seu próprio corpo e se odiar por isso, não é sadio.

Se odiar, não é sadio.

Enfim, procure ajuda profissional.

Não tenha vergonha disso.

A saúde mental é tão importante quanto a saúde física!

Imagem: reprodução

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: