Z1 Cidades

São Carlos: Motoristas encaram filas de mais de 1 km para abastecer em posto

Redação
Escrito por: Redação
Na manhã desta segunda-feira (28), estabelecimento recebeu cerca de 15 mil litros de gasolina. Sincopetro diz que postos devem receber combustível até terça-feira (29).

Um posto de combustíveis de São Carlos (SP) chegou a ter filas de mais de 1 km, nesta segunda-feira (28). A procura de motoristas e motociclistas começou por volta das 9h, após a chegada de um caminhão de Paulínia (SP) com 15 mil litros de gasolina escoltado pela polícia, de acordo com a gerência do estabelecimento.

O local, que fica no bairro Jardim Ricetti, ainda não recebeu etanol e o valor do litro da gasolina comum chega R$ 4,69. O combustível deve durar até o final do dia.

O Sindicato Comércio Varejista Derivados Petróleo (Sincopetro) informou que os postos de São Carlos e Araraquara ainda não receberam combustível, mas isso deve acontecer até terça-feira (29). (veja abaixo o posicionamento).

Em pouco tempo, os motoristas já aguardavam em uma fila na ciclovia da Avenida Comendador Alfredo Maffei para abastecer os veículos no cruzamento com a Rua Major Manoel Antônio de Mattos. A fila chegava ao Centro, perto do Mercado Municipal.

A fila acabou virando duas, uma delas com 1,6 quilômetros e outra 1,2 quilômetros. Equipes da Polícia Militar e da Guarda Civil Municipal deram apoio para organizar o trânsito e evitar confusões entre os motoristas.

“Houve divergências de informação, a fila está vindo do Centro e as motos do lado oposto. O cruzamento está fechado para ficar mais fácil de controlar o fluxo”, explicou o Cabo da PM, Edson Alexandre Oliveira.

Para evitar confusões, os motociclistas foram orientados a fazer uma outra fila na contramão da via.

“Reorganizaram a fila de moto e de carro após uma confusão, para quem é motociclista está mais tranquilo”, disse a técnica de fármácia, Ana Paula Guardia, que já aguardava para abastecer sua motocicleta há mais de 40 minutos.

Proibição de galões

Alguns motociclistas e motoristas aproveitaram a viagem para levar galões, como o mecânico Ezequias Araújo da Costa. Ele veio de Ibaté (SP), para abastecer a motocicleta com um amigo.

“A moto está na reserva, desde Ibaté, agora estamos esperando ver se conseguimos gasolina para voltar para casa. Trouxemos galões para ajudar, estamos contando com a sorte”, disse o mecânico que ficou sabendo pelas redes sociais da chegada de combustível e já esperava há cerca de 2 horas na fila.

Cartazes no posto informavam que abastecimento com galões não estava sendo feito.

Apoio à greve

Apesar da situação caótica do abastecimento de combustíveis, o engenheiro agrônomo Max Ruggiero, que aguardava há cerca de 45 minutos para abastecer o carro, disse que dá total apoio aos caminhoneiros.

“Apoio totalmente, não é só a causa deles, quem está pagando o pato é a população, eles estão lutando em pról de todos. Esperemos que a movimentação também abaixe o valor da gasolina, cause esse transtorno, mas por uma boa causa, para ajudar todos”.

Ele ficou sabendo que havia gasolina no posto em um grupo de WhatsApp. “Tem que ir até o fim mesmo, se virar, comer ovo, tomar água, até o governo fazer alguma coisa dessa vez”, completou.

Junto com Max, o operador de tráfego André Alves, aproveitou para encher o tanque do veículo da empresa em que trabalha. “A orientação da empresa é sempre que tiver a oportunidade, abastecer”, contou.

Imagem: Reprodução G1

Com informações do G1

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: