Saúde faz balanço das ações desenvolvidas ao longo da gestão Nílson Gaspar

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Indaiatuba contabiliza as ações realizadas na gestão de 2017 a 2020. A pasta é conduzida pela secretária Graziela Drigo Bossolan Garcia e em 2020 o destaque ficou com a dedicação e o trabalho de todos os profissionais de saúde no combate a Covid-19 em meio a pandemia da doença. A Secretaria conta com 43 serviços contando com 18 Unidades de Saúde mais a parte administrativa que fica no Paço Municipal.
A Prefeitura de Indaiatuba investe mais de 27% em saúde, sendo que o mínimo exigido pela Lei de Responsabilidade Fiscal é de 15% (Art.198 CF/1988 Art.7º – Lei Complementar 141 de 2012), o orçamento da Saúde para o ano vigente foi de R$ 301.146.217,43 que representa em torno de 30% do orçamento do município. O valor anual por habitantes investido na saúde é de R$1.196,80 valor superior de cidades da região do mesmo porte de Indaiatuba como por exemplo: Sumaré (R$ 567,95), Hortolândia (R$ 851,80) e Santa Barbará D’Oeste (R$ 851,80). Dos valores investidos na Saúde quem contribui com a maior parcela é o Governo Municipal que fica com 67,23% do orçamento, o Governo Federal contribui com 29.56% do montante e o Governo do Estado 1,49%.
COVID-19
Este ano as ações concentraram o planejamento para o Combate a Pandemia que teve início no mês de março, foi investido o valor de R$ 28.251.746,57 até 30 de novembro com as ações contra o Coronavírus. O primeiro caso confirmado da Covid-19 no município foi no dia 30 de março, um homem de 36 anos. O primeiro óbito aconteceu no dia 31 de março no Haoc (Hospital Augusto de Oliveira Camargo), sendo um homem de 64 anos com hipertensão e diabetes.
Desde março até o dia 30 de novembro foram 10.803 casos confirmados na cidade, desse total 10.471 se curaram e 272 foram a óbito, até o final de novembro tinham 45 pessoas internadas pela doença e 48.610 testes foram realizados. A pior semana epidemiológica foi de 29 de novembro a 5 de dezembro quando foram confirmados 749 casos.
A taxa de letalidade por Covid-19 saiu de 14,29 em maio para 2,52% em novembro. A semana com mais confirmações de mortes pela doença foi de 2 a 8 de agosto quando foram confirmados 21 óbitos em 7 dias. Contabilizando todas os casos de falecimento 59,56% foram homens e 40,44% mulheres, a mais incidência é na faixa etária de 60 a 79 anos com comorbidades.
O município tomou as seguintes medidas para tentar conter a transmissão: Restrição de aglomeração de espaços públicos; orientação massiva sobre isolamento social e prevenção do Coronavírus; desinfecção dos espaços públicos; boletins diários com informações sobre a evolução da pandemia; aquisição de testes PCR e sorologia; criação de novos leitos de UTI e enfermaria; abertura da parte nova do Haoc; aquisição de E.P.Is para Rede Pública; entrega domiciliar de medicamentos pela farmácia unificada, para pacientes com mais de 60 anos; ações de prevenção e conscientização da população em todos os bairros da cidade, com aferição de temperatura, entrega de máscaras e cartazes de orientação aos comércios; ação do consultório móvel com equipe médica avaliando pacientes nos bairros; aquisição de tratamento precoce (medicação); utilização de cabine de isolamento no Hospital Dia para coleta de exame PCR; implantação da Minha Saúde Teleatendimento Covid-19/ Teleconsulta Especialidades; atendimento pelo WhatsApp (19) 9 9779-3856; entrega Kit Alimentação para todos os alunos da Rede Municipal; ação de vacinação de Gripe, Sarampo e Poliomielite em sistema de Drive- Thru; higienização das ambulâncias com equipamento ultravioleta; ações de conscientização na Zona Sul e ações de testagem (Fiec, Jardim Oliveira Camargo, Cecap).
A Secretaria de Saúde contabilizou 15.198 ações de prevenções e atendimentos Covid-19 na Atenção Básica. Foram 81 atividades nos bairros de Indaiatuba com orientações sobre higienização das mãos, roupas e alimentos, aferição de temperatura, distribuição de máscaras e explicações sobre o uso correto, realizadas em tendas nas Unidades Básicas de Saúde e serviços de urgência e emergência, Instituições Bancárias, Hospitais, lotéricas, espaço de lazer, comércios, zona rural e nas campanhas de vacinação.
A administração municipal fez 15.731 exames RT-PCR; 6.906 testes rápidos de IgG em laboratório a; 8.035 testes rápidos IgG/IgM, mais 1.244 testes rápidos Hilab em funcionários da Saúde, Segurança, Social e agentes funerários. Foram mais 10.630 ações da vigilância sanitária e epidemiológica.
Uma das novidades que a pandemia trouxe para o município foi o Teleatendimento Covid-19, até o fim de novembro foram realizados 13.569 atendimentos, 2.990 pacientes avalizaram o serviço e desses 82,30% consideram excelente com 5 estrelas.
A secretária da pasta, Graziela Garcia diz. “Este ano ficou marcado na história e nosso principal destaque é o trabalho dos nossos profissionais de saúde a frente da luta contra essa doença, que conduziram de forma profissional mesmo tudo sendo novo, vimos a garra, a coragem e a determinação de cada profissional que abraçou a causa e somos eternamente gratos, pois mesmo com medo e com incertezas eles não desistiram”, enaltece Graziela e continua “Tivemos que planejar todas as ações novamente e refazer todo trabalho este ano e temos visto a Pandemia como uma guerra que precisamos vencer uma batalha todos os dias. Em meio a tanto trabalho a Secretaria de Saúde cumpriu com seu papel que é cuidar das pessoas, nós nos reinventamos e vamos seguir em frente até a chegada de uma vacina que possa controlar a transmissão da Covid-19 e nos trazer a vida como era antes”, relata a secretária de Saúde.
ESTRUTURA
A Rede Municipal de Saúde é equipada com 18 Unidades Básicas de Saúde; sete Farmácias (Unidades Básicas); dois Centros de assistência farmacêutica; Ambulatório de Especialidades e Hospital Dia; UPA Tipo III 24 horas; Pronto Socorro Geral HAOC; 2 unidades do CEO; Ambulatório de Especialidades da Mulher e Criança; Ambulatório de Especialidades do JD Morada do Sol (Mini Hospital); SAAE e CTA (ambulatório de moléstias infecciosas); Derefim – Departamento de Reabilitação Física e Metal; Cerest – Saúde do Trabalhador; Caps II – Centro de Atenção Psicossocial; Caps III – Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas 24h; Caps Infantil – Centro de Atenção Psicossocial Infantil; Laboratório Municipal de Análises Clínicas; Vigilância Sanitária; Vigilância Epidemiológica; Vigilância Ambiental; Central de Ambulância 24 horas; Almoxarifado; Serviço de Verificação de Óbitos; Centro de Operações contra a Dengue.
Os programas desenvolvidos pela Secretaria de Saúde são: Programa Municipal de Qualidade da Rede Pública de Saúde o PMAQ (pelo Governo Federal) e QUALIAB (pelo Governo Estadual); Projeto 100% Saúde; Programa Mais Médicos; Programa de Residência Médica; Programa Boquinha Encantada; Programa de Prevenção ao Câncer Bucal; Programa Viva leite; Programa Nascer Bem; Programa Nacional de Imunização; Programa Preventivo; Promoção de Saúde do Trabalhador; Hiperdin Hipertensos e Diabéticos; Programa de combate à dengue e arboviroses; Santa Casa Sustentável; Práticas Integrativas; Combate ao Tabagismo; IST/AIDS (Infecções Sexualmente Transmissível) e Programa de rastreio do DNA do HPV. Em 2020 esses programas funcionaram de forma parcial ou foram suspensos devido a Pandemia.
SAÚDE EM NÚMEROS NOS ÚLTIMOS 4 ANOS
Indaiatuba possui esse ano 283 médicos na Rede SUS, em 2017 eram 171 um aumento de 65,59% no quadro de médico. Os números de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem também subiram cerca de 20%. Ainda foram contratados novos assistentes sociais, nutricionistas, psicólogos, farmacêuticos e dentistas.
Em quatro anos foram contabilizadas 20.943.432 produções ambulatoriais, que se referem a: exames de laboratório; RX; tomografia; ressonância magnética; polissonografia; endoscopia; hemodiálise; consultas médicas; pequenas cirurgias, procedimentos odontológicos; procedimentos de enfermagem tipo verificação de pressão arterial e dextro; mamografia; visita domiciliar de todos os profissionais e curativos.
As ações contabilizadas do Departamento de Vigilância Epidemiológica abrangem: cobertura vacinal; coordenação das campanhas nacionais de vacinação; realização de treinamentos e capacitações para empresas, serviços de saúde e profissionais de saúde; investigação de óbitos; agravos e doenças de notificação compulsória; entre outras ações administrativas. Até novembro desse ano o departamento contabilizou 101.913 vacinas aplicadas, contabilizando os quatro anos foram 772.886 doses. A vacinação conta a influenza é contabilizada a parte este ano a Campanha vacinou 51.576, em quatro anos foram 235.286 doses.
A Vigilância Sanitária é responsável pelo controle de bens de consumo que, diretamente, se relacionem com saúde, compreendidas todas as etapas e processos da produção ao consumo. Em 2020 o setor executou 13.283 procedimentos.
A Atenção Básica de Indaiatuba realizou até outubro deste ano 294.184 procedimentos, em quatro anos o valor foi de 3.705.133 procedimentos. Também foram contabilizados até outubro 56.195 pacientes atendidos da UPA (Unidade de Pronto Atendimento), em quatro anos foram 292.083 atendimentos. No Pronto Socorro do Haoc foram 810.191 atendimentos até outubro e em quatro anos 5.671.007. Os procedimentos e consultas especializadas expluem esse atendimento de urgência e emergência, nesta área foram feitos 567.314 procedimentos até outubro de 2020 e em quatro anos foram 3.921.111. No mesmo período deste ano foram registradas no Haoc 778 cirurgias eletivas e 6.387 cirurgias de urgência, no Hospital Dia foram feitas 359 cirurgias eletivas, em quatro anos no Haoc foram 4.983 cirurgias eletivas e 30.977 de urgência, as eletivas no Hospital Dia foram 8.336.
Na Odontologia são realizados tratamento com restaurações, tratamento periodontal (gengiva), urgências odontológicas e exodontias simples. As ações do setor também envolvem a prevenção com escovação supervisionada nas Escolas Municipais, em 2020 o setor realizou 3.766 ações de prevenção em saúde bucal em quatro anos foram 567.849. A Prefeitura também entregou este ano 921 próteses dentárias, em quatro anos foram 4.032 próteses dentárias entregues.
O Programa de Combate à Dengue e Arboviroses este ano continuou implementando o trabalho com a segunda fase do projeto “Aedes do Bem™ que é um mosquito geneticamente modificado para suprimir a população do Aedes aegypti, contribuindo para o combate de doenças como dengue, Zika, febre amarela e Chikungunya. Os “Aedes do Bem™” são mosquitos machos que não picam e não transmitem doenças – resultado de mais de doze anos de pesquisa. Ele foi feito em laboratório, dentro da Universidade de Oxford, na Inglaterra, e depois, trazido para o Brasil, onde os pesquisadores brasileiros aprimoraram a técnica para funcionar aqui no país. Desta vez a liberação dos mosquitos machos, que não picam, foram feitos através da instalação de pequenas caixas de papelão simples contendo ovos e água que foram instaladas nos bairros. Destas caixas, nasceram apenas os mosquitos machos Aedes do Bem™. O
O Projeto 100% Saúde é vinculado à Secretaria de Saúde e incentiva a redução de peso por meio da mudança de hábitos alimentares e estilo de vida. Em 2020 o projeto não aconteceu devido a Pandemia, mas desde seu início atendeu cerca de 5.700 pessoas que eliminaram juntas mais de 10 toneladas em peso.
O Derefim (Departamento de Reabilitação Física e Mental) realiza tratamento nas áreas de reabilitação física, auditiva e intelectual. No local há consultas nas especialidades: Fonoaudiologia, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Psicologia, Psico-Pedagogia, Serviço Social e Visitas Domiciliares. Em 2020 foram entregues 1.758 órteses; próteses; cadeiras de rodas e aparelhos auditivos. Em quatro anos foram 7.708 entregas.
A assistência farmacêutica da orientação e distribuição de medicação para os usuários SUS e faz avaliação de processos de compra de medicamentos. A Prefeitura possui a Farmácia da Morada do Sol; a Farmácia Unificada; a Farmácia Judicial; a Farmácia de Alto Custo e outras unidades farmacêuticas em Unidades de Saúde. Apenas em 2020 até outubro foram contabilizados 58.442 atendimentos da Farmácia da Morada do Sol e em quatro anos o valor é de 237.549 atendimentos, o total de doses dispensadas nessa Unidade foi de 8.783.793 em 2020 e nos últimos quatro anos 29.387.854, o valor dispensado no período foi de R$ 1.319.824,14.
Na Farmácia Unificada foram 73.338 atendimentos até outubro e em quatro anos 321.500; o total de doses dispensadas nessa Unidade foi de 11.579.891 em 2020 e nos últimos quatro anos 45.035.983 o valor investido nos quatro anos foi de R$ 5.944.388,59. Na Farmácia Judicial este ano foram 7.377 atendimentos e 25.358 em quatro anos. Na Farmácia de Auto Custo o atendimento esse ano foi de 32.539 e em quatro anos o valor é 127.445 pessoas.
Esta gestão também investiu em educação em saúde. A integração de ensino e serviço se fortaleceu como estratégia de educação na área de saúde contribuindo para processos de melhoria da formação profissional e das práticas em saúde através de parcerias em faculdades de medicina, enfermagem, fisioterapia e educação física, além do programa de residência médicas especialidades de: clínica médica, cirurgia, oftalmologia, psiquiatria, neonatologia, pediatria, ginecologia e obstetrícia, mais urgência, emergência e UTI.
O Programa Indaiatubano de Rastreamento do Câncer de Colo de Útero com teste de HPV desenvolvido em parceria com a Universidade de Campinas (Unicamp) e a Roche Diagnóstica completou três anos de implantação e já alcançou 17 mil mulheres, passando da meta estabelecida de 5 mil exames por ano. O exame permite que Indaiatuba seja pioneira no país na detecção do vírus HPV, causador desse tipo de câncer, antes mesmo que a mulher desenvolva a doença.
Ao detectar o vírus antes que ele comece a causar lesões no órgão, o exame proporciona uma importante redução nos casos de câncer de colo de útero e, desta forma, Indaiatuba se tornará uma referência para todo o Brasil, inclusive para o Ministério da Saúde, que futuramente pode adotar o procedimento na rede de atenção à Saúde da Mulher.
Outro serviço direcionado para o público feminino é o Programa Indaiatubano para Redução da Gravidez na Adolescência. O objetivo do Programa é iniciar a inserção de contraceptivo de longa duração reversível LARC (Long-Acting Reversible Contraception), o DIU hormonal (sistema intrauterino hormonal com levonorgestrel) em adolescentes de 14 a 19 anos.
[responsivevoice_button voice=”Brazilian Portuguese Female”]