Futebol Brasil

Sheik revela desejo por ser útil ao Corinthians e despista sobre cargo diretivo

Redação
Escrito por: Redação

O planejamento do Corinthians para a próxima temporada deve promover uma evolução considerável no elenco, já que uma saída ao menos já é certa: a de Emerson Sheik, que irá se aposentar ao fim do Campeonato Brasileiro. Em seus últimos meses como jogador profissional, o atacante tem desempenhado um papel importante fora das quatro linhas, servindo de exemplo para os mais jovens e aproveitando ao máximo os treinamentos e as oportunidades.

Com uma história de conquistas com a camisa do Alvinegro do Parque São Jorge, como a Copa Libertadores e o Mundial de 2012, além dos Campeonatos Brasileiros de 2011 e 2015, o atacante de 40 anos tem tentado aproveitar ao máximo os dois meses que restam de contrato como jogador e revelou como é sua rotina dentro e fora das quatro linhas na atual temporada.

o: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

“Quero terminar minha carreira diferente de outros atletas. Quero poder ser útil diariamente ao Corinthians, que paga meu salário e paga em dia. Sinceramente, não estou me preocupando com o dia da despedida, porque decidi diariamente dar o meu melhor em gratidão ao esporte que me deu tantas coisas. Essa foi a maneira que eu escolhi para dizer obrigado”, disse Sheik em entrevista nesta sexta-feira, que arrancou risadas quanto ao seu dia a dia.

“Hoje venho cedo para o clube (risos). É verdade. A forma que escolhi para agradecer ao esporte por tudo o que me reservou é de me dedicar todos os dias e servir de exemplo para os mais jovens. Quando termina o treino, chego na minha cabine dentro do vestiário e agradeço por mais um dia bem feito. Não estou vivendo a despedida, estou preparado para parar. Por enquanto sou atleta e quero dar o meu melhor até o último dia do meu contrato”, completou.

Neste sábado, Emerson deve ser uma das novidades de Jair Ventura na escalação para enfrentar o Santos, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. O palco da partida, aliás, será onde Sheik levantou seus troféus mais importantes com a camisa do Corinthians: o Pacaembu.

Sobre o futuro, o herói da Libertadores 2012 preferiu se esquivar, principalmente quando questionado sobre a possibilidade de em 2019 assumir um cargo diretivo no Alvinegro. Independente do que for decidido, o camisa 47 apontou o carinho e enfatizou que até aceitaria se houvesse um convite para algo que ele pudesse realmente agregar, não por sua história dentro das quatro linhas, mas por sua qualidade e capacidade fora delas.

“Tenho um sentimento muito bonito pelo Corinthians. Eu amo estar aqui. Minha história é muito maior que os títulos, é com os funcionários, a relação de carinho, respeito e afeto que construí. Imaginar a possibilidade de não tê-los mais por perto me deixa triste. Seria um enorme prazer continuar contribuindo com o Corinthians de alguma forma. Aceitaria ficar não pelo o que construí como atleta, mas se houvesse algo em que eu pudesse realmente ser útil, pudesse ajudar efetivamente. Dessa maneira, sim, eu adoraria ficar. Às vezes um ou outro (diretor) fala, mas não tem nada certo e nem sequer encaminhado para isso”, ressaltou Sheik. Com informações da Gazeta Esportiva.

Imagem de capa: Sergio Barzaghi/Gazeta Press/Reprodução

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: