Z1 Cidades

Valinhos: Prefeito rebate fake news com a doação de salário

Redação
Escrito por: Redação
O prefeito de Valinhos, Orestes Previtale (PSB), que tem o maior salário entre os prefeitos da Região Metropolitana de Campinas (RMC), anunciou terça-feira que doará parte de seu vencimento mensal, de R$ 28,43 mil, a entidades sociais. Ele pretende ficar com a parcela equivalente a seu salário de médico do Município, de R$ 16 mil, e doar a diferença.
A medida não tem nenhum impacto na folha de pagamentos da Prefeitura, mas a atitude foi tomada depois que uma onda de fake news invadiu as redes sociais, acusando Previtale de aumentar seus vencimentos.
Ele informou que está em curso uma investigação para identificar os autores das notícias falsas e denunciá-los à polícia e ao Ministério Público. “Essas pessoas agem com fins eleitorais e procuram, de forma vil e pérfida, enxovalhar e agredir o prefeito e se escondem em perfis falsos para criar confronto e tumultuar a administração”, afirmou.
Um dos motivos dos ataques, disse, seria uma tentativa de pressioná-lo para não investigar irregularidades cometidas pelos ex-prefeitos Marcos José da Silva (MDB) e Clayton Machado (PSDB), após uma série de sindicâncias serem abertas.
Segundo o prefeito, aqueles que cometeram ilegalidades em gestões anteriores contavam com o silêncio do atual governo para permanecerem impunes. “Mas isso não vai acontecer. A população precisa saber”, disse.
O pessebista informou que o salário do prefeito, desde 2008, vem sendo reajustado automaticamente pelo mesmo índice dado ao funcionalismo. Assim, o valor, que era de R$ 11,5 mil em dezembro de 2005, saltou para R$ 16,4 mil em 2008, para R$ 20,4 mil em 2012 e para R$ 26,6 mil em 2016. Na semana passada, a Câmara aprovou projeto de Previtale que fixou os salários do primeiro escalão de governo. A proposta manteve, para 2018, os mesmos valores de 2017: R$ 28,4 mil para prefeito, e R$ 16,1 mil para a vice, o secretariado e os presidentes do Valiprev e Daev.
Pelo projeto, aprovado por 13 votos favoráveis e 4 contrários, não haverá mais reajustes automáticos pelo mesmo índice dos servidores e os reajustes do primeiro escalão terão que ser aprovados pela Câmara.
Na última sessão, houve protesto na Câmara contra “o aumento do salário do prefeito” e outra manifestação estava prevista para ontem à noite. Previtale disse que seu salário é o teto do funcionalismo, embora existam ativos e inativos que recebam mais.
“Se eu enviasse um projeto à Câmara retrocedendo os valores a 2018, seria um colapso na Saúde, porque a maioria dos médicos já ganha mais que isso, de forma digna e justa, porque eles recebem por plantões. Se eu reduzir o salário, reduzo o dois médicos e eles vão embora”, afirmou.
Na região de Campinas, o prefeito de Santa Bárbara d’Oeste, Denis Andia (PV), com R$ 26,24 mil, tem o segundo maior salário. O prefeito de Americana, Omar Najar (MDB) tem o terceiro maior, com R$ 23.8 mil e o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), que recebe R$ 23,24 mil, tem o quarto maior vencimento entre os 20 prefeitos da RMC.
Imagem: Reprodução
Com informações do Correio Popular

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: