Vertigem: o que é, causas, tratamentos e o que fazer

De acordo com o especialista, são necessários exames para o correto diagnóstico, incluindo possivelmente a utilização de medicamentos para diminuir as tonturas e tratar a causa específica.

67
Reprodução

O que é vertigem?

vertigem (CID 10 – H81) é caracterizada por uma sensação errada ou distorcida do movimento do próprio paciente ou do ambiente ao seu redor. A palavra vertigem engloba desde a falsa sensação de rotação, denominada vertigem rotatória, como também quaisquer outras sensações errôneas de movimentação, como balanço, inclinação, oscilação ou deslizamento.

Diferença entre tontura e vertigem

De acordo com o otorrinolaringologista Ricardo Dorigueto, a principal característica da vertigem é a sensação distorcida do movimento. O termo tontura, por outro lado, é reservado para quando o paciente descreve uma perturbação da orientação espacial em que não há ilusão de movimento.

Tipos de vertigem

A vertigem e a tontura são as principais manifestações clínicas de doenças do labirinto ou dos seus nervos, de evolução benigna e compensação natural (vertigem periférica). No entanto, podem ocorrer como primeiro sintoma de processos de maior gravidade, como os acidentes vasculares ou tumores do sistema nervoso central (vertigem central).

Vertigem central

A vertigem central, ou Síndrome Vestibular Central, é ocasionada por alterações no sistema nervoso central, como aneurismatumor cerebral e enxaqueca, de acordo com o otorrinolaringologista Márcio Freitas.

Entre as formas de reconhecer a vertigem central, está a atenção para os principais sinais de alerta de doenças neurológicas, que são: a presença associada de dor de cabeça, falta de coordenação dos movimentos do corpo, incoordenação da fala e visão dupla.

Vertigem periférica

A presença de náusea e vômito é mais comumente encontrada na vertigem de origem periférica, ou seja, de origem labiríntica. Esse tipo de vertigem costuma ser menos danosa e não indica necessariamente o início de um quadro de saúde mais agravado.

Vertigem oscilatória

Geralmente, denomina sensação de balanço ou inclinação. “Na vertigem oscilatória, a pessoa tem a sensação de desequilíbrio, com movimentos em várias direções, como se estivesse em um barco”, explica Márcio Freitas.

Vertigem rotatória

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Na vertigem rotatória, a pessoa sente que ela ou o mundo estão rodando. É aquela em que há sensação de rotação do corpo em relação ao ambiente ou do corpo parado e ambiente rodando.

Causas da vertigem

Segundo a especialista Maura Neves, da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia, as vertigens podem ser desencadeadas por uma série de fatores, entre eles:

  • Isquemias vasculares (principalmente no sistema vertebrobasilar – tronco encefálico)
  • Enxaqueca
  • Esclerose múltipla
  • Tumores da região ângulo-ponto-cerebelar (mais comum é o schwannoma do nervo vestibular)
  • Alterações metabólicas (diabetes, dislipidemia)
  • Doença de Ménière
  • Labirintite aguda viral
  • Uso de medicamentos
  • Doenças cervicais
  • Doenças cardiovasculares
  • Vertigem posicional paroxística benigna

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;

Outros fatores que podem agravar o quadro de vertigem, como afirma o otorrinolaringologista Ricardo Dorigueto, são:

  • Fatores relacionados ao envelhecimento
  • Predisposição genética
  • Sedentarismo
  • Ansiedade
  • Hábitos nutricionais inadequados

Tratamento para vertigem

Márcio Freitas, otorrinolaringologista da Academia Brasileira de Otorrino, explica que, para tratar a vertigem, o mais importante é fazer um diagnóstico correto da patologia – uma vez que existe uma diversidade grande de doenças que causam tontura ou vertigem e é preciso diferenciá-las.De acordo com o especialista, são necessários exames para o correto diagnóstico, incluindo possivelmente a utilização de medicamentos para diminuir as tonturas e tratar a causa específica. Pode também ser necessária a reabilitação labiríntica, que acontece com exercícios específicos para melhorar o equilíbrio.

O otorrinolaringologista Ricardo Schaffeln Dorigueto ressalta ainda os possíveis procedimentos adotados em alguns casos. Na vertigem posicional paroxística benigna, por exemplo, o médico utiliza manobras de reposicionamento de estatocônios, enquanto que na doença de Ménière se opta geralmente por diuréticos e betaistina.

Ricardo explica também que, se a causa for enxaqueca vestibular, podem ser usados antidepressivos, betabloqueadores e anticonvulsivantes. O paciente deve ser encorajado a praticar atividade física e reduzir o consumo de açúcar, cafeína e outros estimulantes do sistema nervoso central.

Entre os médicos que podem diagnosticar a vertigem e indicar algum tratamento, estão:

  • Neurologistas
  • Otorrinolaringologista

Referências

Maura Neves Otorrinolaringologista Associação Brasileira de Otorrinolaringologia

Ricardo Schaffeln Dorigueto, otorrinolaringologista do Hospital Paulista, dedicado à otoneurologia

Márcio Freitas, otorrinolaringologia, membro da Academia Brasileira de Otorrino e Cirurgia Cervico-Facial e da Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Fac