“Isso se demonstra em campo. Temos sempre a responsabilidade de jogar para ganhar”, afirmou o jogador do Dalian Aerbin, da China.

O camisa 6 de Portugal falou também sobre o desempenho na vitória sobre o Marrocos por 1 a 0 na última quarta, considerado abaixo do esperado, e reconheceu que a uma certa “cristianodependência” na campeã europeia de 2016.

“Poderíamos ter jogado melhor e com maior controle do jogo diante de Marrocos, mas é preciso dar crédito e mérito aos outros times que lutam pela sobrevivência e têm as suas qualidades. Queremos fazer o melhor, mas sem desesperos”, destacou o zagueiro de 34 anos. “É óbvio que Ronaldo tem um peso grande em nossa equipe, mas ele teria esta condição em qualquer uma”, completou.